Menu
24 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner ALMS - AUDIÊNCIA PÚBLICA
Eleições 2016

Rose assume compromisso para redução da desigualdade racial

Candidata da coligação Juntos Por Campo Grande visitou a Comunidade Tia Eva neste sábado

23 Out2016Da redação09h30

Em visita à Comunidade Tia Eva, localizada no bairro Jardim Seminário, ao Norte da Capital, neste sábado (22), a candidata Rose Modesto, da Coligação Juntos Por Campo Grande (PSDB-PR-PDT-PSB-PRB-PSL-SD) recebeu um documento intitulado “programa municipal para eliminação das desigualdades raciais”, elaborado pela população negra da Capital, com políticas públicas para o grupo.

A candidata recebeu o documento do assessor jurídico da Coordenação das Comunidades Negras Rurais e Quilombolas de Mato Grosso do Sul, José Roberto Camargo de Souza. As propostas incluem a valorização da cultura negra, com ações na educação básica; o acesso ao emprego e saúde; e fortalecimento das entidades que cuidam dos assuntos da população negra, entre outros.

“Estou pessoalmente nessa campanha porque o Governo do Estado fez uma coisa que ninguém antes fez, que foi a criação da primeira Subsecretaria de Política Racial. Isso mostra o caráter do governo. Também queremos uma secretaria na Prefeitura”, disse José Roberto.

A reunião foi organizada por Antônio Borges dos Santos, descendente de Tia Eva e presidente do conselho Estadual dos Direitos dos Negros. A Comunidade Tia Eva foi fundada em 1910 por Eva Maria de Jesus e tem aproximadamente 1.200 moradores.

“Avançamos com o Governo do Estado, mas ainda temos muito a fazer e precisamos de vocês lá dentro. No Município, caso seja eleita, será assim também”, disse a candidata. Os moradores disseram que a presença de Rose mostra o comprometimento dela com a população negra.

ESPORTE
A candidata também se comprometeu com a prática esportiva. A estudante Poliana Santos, que tem descendência quilombola, é zagueira no time Meninas da Vila JP. A equipe é formada por mulheres a partir dos 16 anos da comunidade.

Ela disse que joga desde criança e tem o sonho de se tornar uma jogadora profissional, mas que faltam incentivos para a prática esportiva. “Aqui é difícil porque só temos a quadra da escola para jogar e temos que dividi-la com os meninos. Acho importante ela vir na comunidade e mostrar o trabalho dela”, explicou.

“A mulher tem que enfrentar muitos preconceitos, inclusive no esporte. E como a gente muda isso? Incentivando e atraindo mais meninas para a prática esportiva”, disse a candidata, que se comprometeu com o fortalecimento do time de Poliana.

Veja Também