Campo Grande •24 de Março de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Da redação | Sábado, 15 de Outubro de 2016 - 12h05Rose assume compromisso de revitalizar Avenida Ernesto GeiselCandidata visitou trechos mais deteriorados das margens do Rio Anhanduí

(Foto: Divulgação)

Moradores da região Anhanduizinho convidaram a candidata Rose Modesto, da coligação Juntos por Campo Grande (PSDB-PR-PDT-PSB-PRB-PSL-SD), para uma visita nos trechos mais deteriorados das margens do Rio Anhanduí, na Avenida Ernesto Geisel. O ponto de encontro aconteceu na esquina da avenida com a Rua Ouro Negro. Após ouvir os relatos da população, Rose falou sobre suas propostas e assumiu compromisso de revitalizar o trecho.

“Atualmente, de acordo com a Planurb [Instituto Municipal de Planejamento Urbano], gasta-se anualmente de R$ 25 [milhões] a R$ 28 milhões para recuperar os estragos que as enchentes causam em Campo Grande”, afirmou Rose. “A nossa proposta buscar parcerias com a nossa bancada federal e com o Estado, que já se colocou à disposição para discutir e ajudar. Também usaremos recursos próprios para resolver o problema de maneira definitiva”, completou.

Em 2012, na gestão de Nelsinho Trad, foi feito um projeto com custo médio de R$ 80 milhões para a revitalização das margens do Rio Anhanduí entre a rua Santa Adélia e a avenida Manoel da Costa Lima. Desse montante, R$ 40 milhões foi liberado pela Caixa Econômica Federal, mas a prefeitura não ofereceu a contrapartida e a obra parou. Já o atual prefeito, Alcides Bernal, não assinou a ordem de serviço e as construtoras desistiram do projeto.

Para Rose, o histórico representa descaso e mal planejamento. “O que falta, acima de tudo, é vontade política. Isso já se tornou uma vergonha nacional. É um prejuízo financeiro, material e emocional. Os moradores sofrem demais com essa situação”, pontuou.

“Eu moro aqui há mais de 20 anos e, sempre que chove, fico agoniado”, afirmou o tapeceiro Ubaldino Simões de Lima, 57 anos, que tem casa e comércio na Avenida Ernesto Geisel, em frente ao Rio Anhanduí. “As enchentes são terríveis, entra água por tudo”, lamenta. O tapeceiro conta que já viu inúmeras obras na região, mas o problema nunca foi resolvido.

A vice-governadora reassumiu o compromisso de finalizar todas as obras inacabadas da Capital, caso eleita. “Temos hoje pelo menos 37 prédios que não foram terminados, entre unidades de saúde, creches, obras de drenagem e outros”, comentou Rose. “Obra inacabada é prejuízo em dobro e nós vamos concluir projetos como esse, da Avenida Ernesto Geisel, que representa para a população um sonho de mais de 20 anos”, finalizou.

Veja Também
Prefeitura promete mais alvarás a táxis e mototáxis
Supremo nega recurso de Lula para suspender processo da Lava Jato
Câmara está de luto pela morte de ex-presidente da Casa
Saiba quem é Alexandre de Moraes, novo ministro do STF
Alexandre de Moraes toma posse hoje no Supremo Tribunal Federal
Arthur Maia diz vê
Eliana Calmon: foro privilegiado para autoridades deve passar por revisão geral
Na Record, prefeito dá bronca em empresas de ônibus
Justiça revoga decisão de prisão domiciliar para mulher de Cabral
Pedro Chaves assina requerimento para criar CPI da Previdência
Square Banner Sicredi
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothShop
Rec banner - cirurgia.net
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento