Menu
22 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Esclarecimento

Reinaldo diz ter recebido dinheiro do JBS legalmente

Governador negou envolvimento em esquema de recebimento de propina

19 Mai2017Valdelice Bonifácio17h40

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) divulgou nota na tarde desta sexta-feira, 19 de maio, sobre a citação de seu nome na delação premiada de Wesley Mendonça Batista, dono do JBS, durante depoimento aos procuradores da Lava Jato Fernando Antonio Oliveira e Sérgio Bruno Fernandes. O empresário relata que Reinaldo se beneficiou de esquema de recebimento de propina em troca de incentivos fiscais, assim como seus antecessores André Puccinelli (PMDB) e Zeca do PT. O governador tucano nega a acusação.

Reinaldo diz que apenas um termo de redução de impostos em benefício da JBS foi assinado em sua gestão. “Esclareço que referido termo assinado em minha gestão teve como objeto investimentos para ampliação e geração de novos empregos em diversas unidades frigoríficas em Mato Grosso do Sul, conforme legalmente estabelecido pela política de incentivos estadual”, afirma na nota.

Na delação, Wesley Batista informa que tratava do repasse da propina diretamente com Reinaldo Azambuja. Ele mencionou, por exemplo, o pagamento de R$ 10 milhões em espécie para o governador tucano. O empresário ainda relatou que as notas fiscais frias para justificar o repasse do dinheiro eram entregues na governadoria pelo próprio Reinaldo.

Quanto a isso, o governador admite ter recebido valores do JBS como financiamento de campanha eleitoral, mas legalmente. “Em relação à declaração de que recebi aproximadamente R$ 10.000.000,00 (dez milhões de reais) dos empresários, informo que o valor exato é de R$ 10.500.000,00, (dez milhões e quinhentos mil reais) repassados pelo PSDB nacional e que constam regularmente declarados na prestação de contas eleitoral de minha candidatura em 2014”, disse.

Em nota, Zeca do PT também negou participação no esquema de corrupção. André Puccinelli, por sua vez, não quis se manifestar.

Veja abaixo na íntegra a nota divulgada por Reinaldo Azambuja:

Compromisso com a verdade

Tendo em vista a delação do empresário Wesley Batista em que meu nome é citado, e em respeito ao povo de Mato Grosso do Sul, faço os seguintes esclarecimentos:

O empresário Wesley Batista apresentou em sua delação premiada suposições de fraude envolvendo cinco termos de acordo de incentivos fiscais com o Estado de Mato Grosso do Sul, dos quais apenas um foi assinado em minha gestão;

Esclareço que referido termo assinado em minha gestão teve como objeto investimentos para ampliação e geração de novos empregos em diversas unidades frigoríficas em Mato Grosso do Sul, conforme legalmente estabelecido pela política de incentivos estadual;

Em relação à declaração de que recebi aproximadamente R$ 10.000.000,00 (dez milhões de reais) dos empresários, informo que o valor exato é de R$ 10.500.000,00, (dez milhões e quinhentos mil reais) repassados pelo PSDB nacional e que constam regularmente declarados na prestação de contas eleitoral de minha candidatura em 2014;

Ressalto que a transparência na gestão pública é meu compromisso com o povo sul-mato-grossense, comprovado pela ultima avaliação da CGU que colocou Mato Grosso do Sul com nota 10 em transparência, sendo o Estado que mais evoluiu nesse quesito em todo o país;

Apoio integralmente às investigações, e me coloco à disposição para apresentação de todo e qualquer documento ou esclarecimento que contribua com a elucidação total dos fatos;

Por fim reforço que qualquer outra alegação de fatos ilícitos envolvendo meu nome e a empresa JBS não condiz com a verdade, e será devidamente comprovado.

Campo Grande – MS, 19 de Maio de 2017.

Reinaldo Azambuja Silva

Governador do Estado de Mato Grosso do Sul

Veja abaixo vídeo da delação premiada de Wesley Mendonça Batista:

Veja Também

Justiça homologa delação premiada de Palocci
Presidenciável, Henrique Meirelles volta à Capital na segunda-feira
Câmara quer pressa em apreciar alterações
Reservista do serviço militar poderá atuar como policial voluntário
Biometria para deputados é implementada na Assembleia
ex-governador Cabral vira réu pela 24ª vez
Verba para UBS não sai e abre divergência política
Simone elogia retomada das obras de fábrica de fertilizantes em MS
Educação Ações podem acabar com cursos EaD na área da saúde em MS Medidas foram decididas em audiência pública da assembleia
Eleições 2018 Eleição sem dinheiro de empresários Pela 1ª vez, campanha eleitoral não terá financiamento de empresas