Menu
18 de dezembro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Mega Banner SEGOV - Refis 2019
Eleições 2018: Voto na Record

Reinaldo aposta no antagonismo a Odilon

Em entrevista à Rede MS, governador diz que foi massacrado no 1º turno e pede votos para Bolsonaro

10 Out2018Valdelice Bonifácio14h17
(Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Luiz Alberto)
  • (Foto: Luiz Alberto)
  • (Foto: Luiz Alberto)
  • (Foto: Luiz Alberto)
  • (Foto: Luiz Alberto)
  • (Foto: Luiz Alberto)
  • (Foto: Luiz Alberto)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) está na batalha para continuar na chefia do Poder Executivo Estadual. Ele disputa o segundo turno das eleições com o juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PDT). Nesta nova etapa eleitoral, ele pretende investir no antagonismo ao adversário. “Um dos candidatos não tem experiência”, mencionou se referindo ao pedetista.

As declarações de Reinaldo foram dadas a veículos da Rede MS Record nesta quarta-feira, 10 de Outubro. O governador falou ao programa de rádio Noticidade, da FM Cidade 97,9, ao Balanço Geral, da TV MS Record e ao portal Diário Digital.

No primeiro turno, o tucano obteve a preferência de 44,61% do eleitorado do Estado. Foram 576.993 votos conquistados pelo governador. Odilon de Oliveira alcançou 31,62%, ou 408.969 votos. O atual governador é filiado ao PSDB e tem como candidato a vice Murilo Zauith (DEM). Antes de chegar ao governo, foi deputado federal, deputado estadual e prefeito de Maracaju por duas vezes.

Reinaldo afirma que quer continuar governador para manter projetos iniciados em sua gestão e que, segundo ele, beneficiaram a população, tais como a Caravana da Saúde, além das políticas públicas para educação e segurança. “Não existe milagre, varinha mágica, isso é só em telenovela. Tem é que fazer gestão”, enfatiza.

O candidato assegura não ter ficado frustrado por não ter vencido no primeiro turno, embora pesquisas de intenção de votos apontassem essa possibilidade. “Pelo contrário, a quantidade de votos que recebi aponta que a população confiou em mim”, analisa. O governador relembra que sofreu ataques no primeiro turno das eleições. “Foi massacrante, mas faz parte de quem está na vida pública e não reclamo.”

Agora, Reinaldo está conversando com possíveis novos apoiadores. Ele não revela nomes. O tucano observa que os quatro candidatos a governador que não foram para o segundo turno tiveram juntos cerca de 320 mil votos. Uma das metas é conquistar esse eleitorado.

A estratégia de divulgação neste segundo turno é reiterar as realizações de seu governo durante a campanha eleitoral e também investir nas comparações com Odilon. “Vamos fazer o antagnismo. Um dos candidatos não tem experiência (...) Nosso grande legado é o trabalho. Vamos mostrar as diferenças”, antecipa.

O governador revela ainda que se eleito para um novo mandato, seu vice, Murilo Zauith, terá um papel importante em relação à região de Dourados. Murilo tem base eleitoral na cidade da qual foi prefeito por dois mandatos. “É ele quem vai cuidar das políticas públicas para aquela região”, resume, sem especificar qual será o cargo do vice na administração.

Reinaldo já declarou apoio ao candidato Jair Bolsonaro (PSL) para presidência da República e durante a rodada de entrevistas na Rede MS pediu votos para si e para o presidenciável. “Vote 45 e 17 Jari Bolsonaro. Vamos trabalhar juntos.”

A votação do segundo turno será no dia 28 de Outubro, último domingo do mês.

Veja Também

Prefeita de Dourados anuncia reforma e secretários põem cargos à disposição
Simone Tebet defende que crime de estupro seja imprescritível
Bolsonaro faz primeira reunião ministerial com equipe completa dia 19
Bolsonaro analisa reservas de potássio, cálcio e magnésio
Bolsonaro não vai debater pena de morte
Vereador pede federalização do caso Marielle Franco
Cabral decide ficar em silêncio durante audiência com juiz
Macri e Bolsonaro se reúnem em 16 de janeiro em Brasília
Lula vira réu em caso de Guiné Equatorial
Governo italiano agradece a Temer por assinar extradição de Battisti