Menu
21 de março de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Mega banner segov dengue
Economia

Próximo governador terá R$ 15 bilhões no 1º ano

Projeto da LDO foi aprovado pelos deputados; montante é 3,6% maior que o estimado para 2018

11 Jul2018Valdelice Bonifácio17h32

O governo de Mato Grosso do Sul terá receitas de R$ 15,048 bilhões em 2019 quando terá início um novo mandato no Executivo Estadual. O valor consta do Projeto de Lei 116/2018 da Lei Orçamentária (LDO) do ano que em aprovado nesta quarta-feira, 11 de julho, pelos deputados estaduais. O  montante é 3,6% maior que os R$ 14,497 bilhões orçados para 2018.

Este ano serão realizadas eleições gerais para a escolha de presidente, governador, senadores, deputados federais e estaduais. Assim, a LDO aprovada neste ano será executada em 2019 pelo governador eleito no pleito de outubro deste ano. O atual governador Reinaldo Azambuja (PSDB) deve tentar a reeleição. Outros concorrentes são o ex-governador André Puccinelli (MDB) e o juiz Odilon de Oliveira (PDT).

Vale mencionar que a LDO é apenas uma projeção de receita calculada antecipadamente. O Projeto de Lei aprovado pelos deputados estima receitas para os próximos três anos sendo R$ 15,048 bilhões (2019), R$ 15,624 bilhões (2020) e R$ 16,333 bilhões (2021).

O PL 116/2018 estabelece, como diretrizes gerais, que a LOA 2019 “observará os parâmetros de crescimento econômico e da variação do índice de preços”. Também afirma que as políticas do governo de Mato Grosso do Sul serão guiadas pelos princípios da “superação das desigualdades sociais, raciais e de gênero” e do “fortalecimento da participação e do controle social”.

De acordo com o projeto, os valores previstos às instituições e órgãos são os seguintes: R$ 298,027 milhões (Assembleia Legislativa), R$ 282,612 milhões (Tribunal de Contas), R$ 901,789 milhões (Tribunal de Justiça), R$ 417,032 milhões (Ministério Público) e R$ 190,12 milhões (Defensoria Pública do Estado).

Esses órgãos e instituições têm até o dia 17 de agosto deste ano para apresentarem ao governo do Estado suas propostas orçamentárias.

(Com informações são da Assembleia Legislativa)

Veja Também

CCJ aprova projeto de Simone Tebet que beneficia população de baixa renda
OAB não aceitará inscrição de acusados de violência contra mulheres
Proibição do Narguilé será discutida amanhã em Audiência Pública
Relator da PEC da Previdência deve ser escolhido até quinta, diz Francischini
Fábio Trad assume liderança da Câmara e coordenação da principal comissão da Casa
Deputada defende aumento de pena
Maia diz que é viável aprovar reforma da Previdência no 1º semestre
Governo fixa critério para ocupação de cargos
Movimento Assembleia terá semana movimentada Audiências públicas, sessões solenes marcam a semana do legislativo
Com Puccinelli, MDB discute união interna