Menu
11 de novembro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Poder Legislativo

Projeto de lei abre polêmica com professores

Proposta enviada à Assembleia cria procedimentos para convocar professores e fixa remuneração

9 Jul2019Da redação, com informações da Assembleia Legislativa17h55

O governo do Estado encaminhou à Assembleia Legislativa Projeto de Lei Complementar 09/2019 que altera o Estatuto dos Profissionais da Educação Básica do Estado (Lei Complementar 87/2000). Entre as propostas, estão mudanças nos procedimentos para convocação dos professores e fixação de tabela própria para remuneração dos profissionais convocados. O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) solicitou tramitação em regime de urgência.

Horas após o projeto dar entrada na Casa de Leis, a movimentação dos educadores contra a proposta começou. Segundo fontes ligadas à educação, o projeto poderá reduzir os salários dos professores convocados. A ideia que os funcionários convocados ganhem 70% do que os efetivos ganham. Atualmente, o salário é o mesmo. Professores já prepararam manifestação para a sessão desta quarta-feira, 10 de Julho.

Conforme o governo, a principal mudança está na forma de convocação de professor temporário. “Há muitos anos o Ministério Público e a própria Fetems questionam a ausência de critérios objetivos para se efetivar a convocação de professores, sendo que, recentemente, o MPE ingressou com Ação Civil Pública sobre o tema, obtendo o provimento judicial liminar determinando que o Estado apresente, em 30 dias, novo modelo de convocação, com critérios objetivos”, explicou Edio Castro, secretário de Segurança, em exercício.

O novo modelo exigirá tanto dos professores efetivos quanto dos demais profissionais da educação a submissão a um processo seletivo simplificado, contendo prova objetiva e análise curricular, para a formação de um Banco Reserva de Profissionais para a Função Docente Temporário, por ordem de classificação, disciplina ou componente curricular e por município.

O prazo da convocação poderá ser por até 01 (um) ano, com a possibilidade de prorrogação por igual período. Para assegurar a não interrupção da convocação entre os períodos letivos, o Estado estabelecerá nova tabela remuneratória para os professores temporários, desvinculada da tabela salarial dos efetivos, observando que esta não será inferior ao piso nacional da categoria e será escalonada de acordo com o grau de qualificação do profissional.

O projeto será analisado pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) e seguirá para votação no Plenário. Deverá tramitar em regime de urgência por solicitação do governo.

Veja Também

Evo Morales renuncia ao cargo de presidente da Bolívia
Agenda Saúde e agropecuária são temas de audiência Eventos devem discutir realidade do setor rual a situação do combate a Dengue, Zika e Chikugunia
Mesmo livre, Lula não pode se candidatar à sucessão presidencial
Justiça manda soltar ex-ministro José Dirceu
'Depois que eu fui preso, o Brasil piorou', afirma Lula após ser solto
Lula deixa carceragem da PF em Curitiba
Após 580 dias preso, Lula pode ser solto
CPI da Energisa deve ser instalada na próxima semana
Texto que aponta esquerdismo no jornalismo causa polêmica no CCS
Proposta vincula débitos de água e luz ao titular dos contratos