Menu
15 de outubro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Segov - Campanha HPV
Socorro financeiro

Prefeitos aguardam R$ 2 bi de Temer

Ajuda financeira ainda não tem data para ser liberada

15 Fev2018Laureano Secundo10h36

Devido à falta de previsão orçamentária, o Palácio do Planalto não liberou até agora os R$ 2 bilhões prometidos para dezembro a prefeitos de todo o País. O dinheiro foi usado como barganha para negociar e pressionar deputados que votassem a favor da reforma da Previdência.

Para sinalizar a intenção de cumprir a promessa, o governo editou uma medida provisória no fim do ano passado autorizando a transferência aos municípios. Mas ainda será preciso enviar um projeto de lei ao Congresso para dizer qual será a origem dos R$ 2 bilhões. Governo federal e prefeitos esperam que a situação esteja resolvida, no máximo, até o início de março.

"O governo tem o compromisso de ajudar os municípios. Nesse sentido, fez um esforço para liberar em dezembro, mas esbarramos na ausência de previsão orçamentária. Não podemos correr o risco de pedalar, de cometer agressões à Lei Orçamentária. Teve uma presidente que caiu um tempo atrás por isso", disse o ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo), referindo-se a petista Dilma Rousseff.

Além dos R$ 2 bilhões prometidos para o ano passado, o governo Michel Temer se comprometeu, no fim de 2017, a repassar para os municípios outros R$ 3 bilhões, caso a reforma seja aprovada.

De acordo com a agência de notícias da CNM (Confederação Nacional de Municípios), a qual a Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) é filiada, Temer fez contato no último dia 9 com o presidente da entidade, Paulo Ziuolkoski, para dizer que acabou de assinar o Projeto de Lei do Congresso Nacional, que garante o repasse de R$ 2 bilhões na forma de AFM (Apoio Financeiro aos Municípios), acertado no final de 2017 e que não foi pago por conta de obstáculos orçamentários.

Na conversa por telefone, Temer também informou que já teria solicitado ao presidente do Congresso Nacional, senador Eunício de Oliveira (PMDB-CE), uma tramitação ágil para o projeto de lei.

Com o projeto, que ainda não tem um número porque não foi publicado no Diário Oficial da União, o governo federal obtém o respaldo orçamentário para liberar recursos para o Programa Especial de Apoio aos Municípios, criado no último dia útil de 2017 com o objetivo de assegurar as condições para pagamento da AFM acertado com os prefeitos durante mobilização dos dias 21 e 22 de novembro de 2017 em Brasília.

Dos R$ 2 bilhões previstos, as 79 prefeituras de Mato Grosso do Sul têm direito a pouco mais de R$ 29 milhões pelo mesmo critério de divisão proporcional do FPM (Fundo de Participação dos Municípios).

O presidente da Assomasul, prefeito de Bataguassu, Pedro Caravina, observa que os gestores públicos aguardam o repasse do dinheiro extra desde dezembro para o fechamento das contas públicas.

Segundo ele, embora o governo tenha reduzido pela metade os valores reivindicados pelo movimento municipalista -- antes eram R$ 4 bilhões --, o auxílio financeiro está sendo esperando com grande expectativa. Com informações da CNM.

Veja Também

Bolsonaro diz que seu plano de privatizações agrada ao mercado
Alto Comissariado da ONU condena violência durante eleições no Brasil
A partir deste sábado, candidato só pode ser preso em flagrante
Eleições 2018 Recomeça a propaganda eleitoral Candidatos aos Governos e a presidências da República retomam a campanha
Câmara Municipal Eduardo Romero será o relator do orçamento da Capital Definida relatoria da Lei Orçamentária de Campo Grande para 2019
Haddad defende reformas bancária e tributária
Câmara promove audiência para debater Lei Orçamentária de 2019
Aprovada criação do Fundo de Regularização de Terras
Bolsonaro dispensa voto de quem pratica a violência
Justiça manda soltar ex-governador Marconi Perillo