Menu
25 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner FIEMS - Mês da Industria
Socorro financeiro

Prefeitos aguardam R$ 2 bi de Temer

Ajuda financeira ainda não tem data para ser liberada

15 Fev2018Laureano Secundo10h36

Devido à falta de previsão orçamentária, o Palácio do Planalto não liberou até agora os R$ 2 bilhões prometidos para dezembro a prefeitos de todo o País. O dinheiro foi usado como barganha para negociar e pressionar deputados que votassem a favor da reforma da Previdência.

Para sinalizar a intenção de cumprir a promessa, o governo editou uma medida provisória no fim do ano passado autorizando a transferência aos municípios. Mas ainda será preciso enviar um projeto de lei ao Congresso para dizer qual será a origem dos R$ 2 bilhões. Governo federal e prefeitos esperam que a situação esteja resolvida, no máximo, até o início de março.

"O governo tem o compromisso de ajudar os municípios. Nesse sentido, fez um esforço para liberar em dezembro, mas esbarramos na ausência de previsão orçamentária. Não podemos correr o risco de pedalar, de cometer agressões à Lei Orçamentária. Teve uma presidente que caiu um tempo atrás por isso", disse o ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo), referindo-se a petista Dilma Rousseff.

Além dos R$ 2 bilhões prometidos para o ano passado, o governo Michel Temer se comprometeu, no fim de 2017, a repassar para os municípios outros R$ 3 bilhões, caso a reforma seja aprovada.

De acordo com a agência de notícias da CNM (Confederação Nacional de Municípios), a qual a Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) é filiada, Temer fez contato no último dia 9 com o presidente da entidade, Paulo Ziuolkoski, para dizer que acabou de assinar o Projeto de Lei do Congresso Nacional, que garante o repasse de R$ 2 bilhões na forma de AFM (Apoio Financeiro aos Municípios), acertado no final de 2017 e que não foi pago por conta de obstáculos orçamentários.

Na conversa por telefone, Temer também informou que já teria solicitado ao presidente do Congresso Nacional, senador Eunício de Oliveira (PMDB-CE), uma tramitação ágil para o projeto de lei.

Com o projeto, que ainda não tem um número porque não foi publicado no Diário Oficial da União, o governo federal obtém o respaldo orçamentário para liberar recursos para o Programa Especial de Apoio aos Municípios, criado no último dia útil de 2017 com o objetivo de assegurar as condições para pagamento da AFM acertado com os prefeitos durante mobilização dos dias 21 e 22 de novembro de 2017 em Brasília.

Dos R$ 2 bilhões previstos, as 79 prefeituras de Mato Grosso do Sul têm direito a pouco mais de R$ 29 milhões pelo mesmo critério de divisão proporcional do FPM (Fundo de Participação dos Municípios).

O presidente da Assomasul, prefeito de Bataguassu, Pedro Caravina, observa que os gestores públicos aguardam o repasse do dinheiro extra desde dezembro para o fechamento das contas públicas.

Segundo ele, embora o governo tenha reduzido pela metade os valores reivindicados pelo movimento municipalista -- antes eram R$ 4 bilhões --, o auxílio financeiro está sendo esperando com grande expectativa. Com informações da CNM.

Veja Também

Simone comemora destinação de 30% do fundo eleitoral para mulheres
TSE define quanto cada partido receberá de fundo eleitoral
Reoneração é aprovada com erro e projeto será ajustado, diz Marun
Justiça determina prisão imediata de ex-governador de MG
Moka assume relatoria do Orçamento
Brasil é preparado para não crescer, diz Aldo Rebelo
Corrupção Mais um pacote de medidas contra a corrupção será lançado Para tentar diminuir este tipo de crime pacote será lançado em junho
Pré-candidato à presidência visita Capital nesta segunda
Mundo Este domingo, 20, é dia de Venezuelanos irem às urnas Mais de 20 milhões de pessoas dever votar no país vizinho