Menu
19 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Comissão de Ética

Por ofender mãe de Bernal, Durães recebe advertência

Parecer da Comissão vai ser encaminhados para apreciação do plenário do Legislativo

13 Out2016Laureano Secundo12h30

Os vereadores da Comissão Permanente de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal de Campo Grande, em reunião na manhã desta quinta-feira (13), aprovaram, por unanimidade, punir com censura verbal escrita o vereador Roberto Durães, após análise dos pedidos de representação contra o parlamentar. Durães, disse conhecer mãe do prefeito Alcides Bernal “no silêncio dos edredons”, durante a sessão ordinária do último dia 03 de maio. A Comissão de Ética é composta pelos vereadores Alex do PT, Chiquinho Telles, Ayrton Araújo do PT, Herculano Borges e Vanderlei Cabeludo por conta da repercussão das declarações a Comissão de Ética recebeu três pedidos de representação contra o vereador.

 O parecer, apresentado pelo vereador Herculano Borges (relator do caso) e aprovado por unanimidade pela Comissão, tem como fundamento o Regimento Interno da Casa de Leis, jurisprudências do STF (Supremo Tribunal Federal) e o Código de Ética (Resolução 1.044/03), que prevê a dosimetria das punições aplicadas em casos de quebra de decoro.

"Como esta é a primeira representação contra o vereador Roberto Durães e tendo em vista seu arrependimento e a retratação em tempo hábil, a legislação prevê como punição inicial a censura verbal escrita. Em caso de reincidência, aí sim, caberiam punições mais severas, que vão desde suspensão do mandato por 30 dias, até a perda definitiva do mandato. Não podemos aplicar uma punição mais severa em caso de infração primária, sem seguir a dosimetria prevista em lei. O vereador Durães extrapolou, sim, em seu discurso, mas não podemos pular direto para a punição mais grave, sem antes adverti-lo conforme prevê a legislação", alegou Herculano.

De acordo com o presidente da Comissão, vereador Alex do PT, "essa é a primeira vez que um vereador é punido pela Comissão de Ética e advertido por conta de sua fala em Plenário. Pela primeira vez estamos quebrando a imunidade parlamentar e a inviolabilidade da fala do parlamentar para aplicar uma punição. A partir de agora, o vereador Durães terá que se policiar em suas falas, para não cair em reincidência", destacou. A censura verba escrita será elaborada pela Mesa Diretora e encaminhada ao parlamentar Roberto Durães, que terá o prazo regimental de 10 dias para recorrer da punição.

Veja Também

Câmara quer pressa em apreciar alterações
Reservista do serviço militar poderá atuar como policial voluntário
Biometria para deputados é implementada na Assembleia
ex-governador Cabral vira réu pela 24ª vez
Verba para UBS não sai e abre divergência política
Simone elogia retomada das obras de fábrica de fertilizantes em MS
Educação Ações podem acabar com cursos EaD na área da saúde em MS Medidas foram decididas em audiência pública da assembleia
Eleições 2018 Eleição sem dinheiro de empresários Pela 1ª vez, campanha eleitoral não terá financiamento de empresas
PF pede quebra de sigilo telefônico de Temer e ministros
Senadora de MS sugere Comissão sobre Segurança Pública