Campo Grande •28 de Maio de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Da redação | Quarta, 17 de Maio de 2017 - 19h00Para Tereza Cristina, relatório de CPI levará justiça às minoriasCPI da Funai e do Incra aprovou relatório final nesta quarta-feira

(Foto: Guilherme Martimon/Divulgação)

Em reunião marcada por discussões acaloradas, a Comissão Parlamentar de Inquérito que investigou fatos relativos à Fundação Nacional do Índio (Funai) e ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), aprovou o relatório final, nesta quarta-feira (17). 

O texto, apresentado ao colegiado na última semana, pede o indiciamento de cerca de 90 pessoas por supostos crimes praticados em processos de demarcação de terras indígenas e quilombolas e de assentamentos rurais destinados à reforma agrária. Constam ainda proposições referentes à legislação dos dois órgãos citados. O documento será encaminhado às autoridades competentes para que sejam dados os devidos encaminhamentos.

Sub-relatora da CPI, a deputada Tereza Cristina (PSB-MS) afirmou estar certa que o relatório levará justiça e contribuirá para o fortalecimento da Funai e do Incra. “Nosso intuito é fazer um Brasil melhor para os indígenas, os quilombolas e os agricultores”, ressaltou a líder do PSB na Câmara. Ainda segundo Tereza, ao mostrar o que está errado, o relatório propõe aos órgãos de investigação que aprofundem o tema e busquem a punição, caso venham a se confirmar os indícios apresentados.

No texto, conforme destacou, também são apresentadas medidas para o engrandecimento das políticas públicas que visam a proteção das minorias. “Assim, buscamos evidenciar o que está errado para alcançarmos o caminho correto. Continuar no erro sob falso discurso de proteção, não irá resolver o problema daqueles que realmente necessitam”, alertou a socialista ao citar exemplos de assentamentos e terras indígenas em que as pessoas são abandonadas. “Somos testemunhas da miséria pela incompetência do Estado brasileiro ao longo de anos. Vemos várias dessas pessoas vivendo sem acesso à água potável, à saúde ou à educação, por omissão dos órgãos que deveriam assisti-las”.

Em relação à reforma agrária no País, Tereza Cristina voltou a defender políticas públicas que levem a um processo sério e justo. “Precisamos caminhar muito sobre as regras para assentarmos as pessoas que realmente têm elação com a terra.”

Na semana passada, durante a apresentação do relatório, a parlamentar afirmou ser necessário oferecer condições para que os trabalhadores rurais se desenvolvam. “Precisamos fazer justiça às minorias no Brasil, mas também aos produtores rurais, que são trabalhadores, que colocam comida na mesa do povo brasileiro. Precisamos acabar com essa divisão e trabalhar para que todos possam produzir e viver de maneira justa no País”, afirmou a socialista.

Os deputados socialistas Adilton Sachetti (MT) e Janete Capiberibe (AP) também integraram a CPI como titulares. Paulo Foletto (PSB-ES) e Fábio Garcia (PSB-MT) ocuparam a suplência no colegiado.

Veja Também
Membros da comissão indicados na terça-feira
Em audiências prefeitura prestará contas
Moro absolve esposa de Eduardo Cunha por falta de provas
Vereadores vão recorrer contra decisão do TJ sobre Cosip
Decreto municipal reduz gastos com servidores
População pagará R$ 40 milhões por medida errada, diz vereador sobre Cosip
Convocação obrigatória do MPE aos pais gera repúdio
Saiba quem são os políticos de MS financiados pela JBS
Para TCE, incentivos dados ao JBS são regulares
Câmara encerra sessão após reforço na segurança da Esplanada
Vídeos
Diário Digital no Facebook
Rec banner - cirurgia.net
DothShop
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento