Menu
23 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Falecimento

Para prefeita de Dourados, Pedrossian deixa legados futuristas

'Perdemos um símbolo da nossa história', comentou Délia Razuk

22 Ago2017Da redação16h33

A prefeita de Dourados, Délia Razuk, lamentou, na manhã desta terça-feira (22), a morte do ex-governador Pedro Pedrossian, ocorrida no final desta madrugada na casa onde ele morava, em Campo Grande. “Perdemos um símbolo da nossa história”, comentou. Ela decretou luto oficial no Município por três dias.

Pedrossian foi governador por três vezes, em 1966 e 1971 pelo então Mato Grosso uno e em 1980, foi nomeado para comandar Mato Grosso do Sul, estado criado em 1977. Em 1991 ele foi eleito e permaneceu até 95 no controle do novo MS.

Em Dourados, além da implantação do então CPD (Centro Pedagógico de Dourados, depois transformado em Ceud) em decorrência da criação da Universidade Estadual de Mato Grosso, Pedrossian também deixou marcas na futura Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), no estádio ‘Fredis Saldivar’ (o Douradão) e em obras estruturantes de pavimentação e iluminação pública.

“Ele ligava para o Roberto [Razuk, ex-deputado estadual constituinte, que legislou durante o mandato do então governador] às 5 horas da manhã para falar de projetos e novas ideias para o Estado, sempre foi muito sintonizado com o progresso e o crescimento, deu uma grande contribuição”, observou a prefeita. O decreto que fixou a sede da Uems em Dourados é de autoria do então deputado Roberto Razuk.

 

Veja Também

Tentativa suicídio mobiliza Bope e Bombeiros
PSDB tem três alianças confirmadas
Puccinelli pretende anunciar o vice em julho
Justiça homologa delação premiada de Palocci
Presidenciável, Henrique Meirelles volta à Capital na segunda-feira
Câmara quer pressa em apreciar alterações
Reservista do serviço militar poderá atuar como policial voluntário
Biometria para deputados é implementada na Assembleia
ex-governador Cabral vira réu pela 24ª vez
Verba para UBS não sai e abre divergência política