Menu
15 de outubro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Investigação

Ninguém está acima da lei, diz Reinaldo sobre Operação Omertà

Governador comentou operação do Gaeco que mira suposta milícia comandada por empresário e o filho

3 Out2019Da redação, com TV MS Record18h32

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) comentou nesta quinta-feira, 3 de Outubro, durante agenda em Aquidauana, as prisões da Operação Omertà que tem como alvo suposta milícia armada chefiada pelo empresário Jamil Name e o filho dele Jamil Name Filho.

“O Importante é que ninguém está acima da lei. Uma operação quando prende policiais é porque está fazendo a corregedoria funcionar”, disse durante entrevista à imprensa.

Reinaldo mencionou que o governo está “cortando na própria carne” com as prisões de policiais supostamente envolvidos com a milícia. “Estamos agindo para excluir essa banda podre que é banda que em vez de trabalhar em defesa do cidadão, trabalha muitas vezes em defesa do crime organizado, e não queremos policiais com esse perfil”, acrescentou.

Os Name estão presos desde sexta-feira passada, dia 27de Setembro, quando estourou a operação Omertà. Além deles, outras 17 pessoas também estão presas suspeitas de ligação com a milícia. Outros dois envolvidos são procurados pela polícia. Para o Gaeco, o grupo criminoso seria responsável por ao menos quatro assassinatos na Capital.

Veja Também

Senado entra em semana decisiva para a reforma da Previdência
Plenário poderá votar ampliação do porte e posse de armas
Bolsonaro destaca ações do governo em outubro
Dia das Crianças: Projetos de lei em MS visam garantir direitos fundamentais
MS deve receber mais R$ 70 milhões da partilha dos leilões
Bancada federal de MS definirá na próxima semana as emendas para 2020
PEC  profunda, mas não profana, diz Simone Tebet sobre Previdência
Câmara aprova cobrança gradual de ISS de empresas de ônibus
8ª Zona Eleitoral altera locais de votação para Eleições 2020
Assembleia disciplina uso de cotas para deputados estaduais