Menu
20 de fevereiro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Eleições 2018: Voto na Record

Na véspera da eleição Azambuja na frente

Governador mantém vantagem sobre seu adversário na briga pela reeleição

26 Out2018Laureano Secundo11h00

Na reta final da disputa eleitoral o governador Reinaldo Azambuja, candidato à reeleição pelo PSDB aparece com 53% das intenções de votos válidos, seguido por Odilon de Oliveira (PDT) com 47% dos votos válidos. Esses são os números da última pesquisa realizada pelo Instituto Real Time Big Data divulgado nesta sexta-feira (26) para aferir a preferência do eleitorado na disputa pelo Governo do Estado de Mato Grosso do Sul.

Quando se trata de votos totais na pesquisa estimulada Reinaldo Azambuja aparece com 47% e Odilon de Oliveira está com 42%. Já Nulo / Branco / Não votará estão em 6% e Indecidos 5%.

O levantamento foi realizado em Campo Grande e cidades do interior do Estado pelo Instituto Real Time Big Data encomendada pela Record TV. O resultado da terceira pesquisa do instituto sobre o segundo turno da eleição para o governo tem margem de erro de 3,0 pontos, para mais ou para menos.

A pesquisa quantitativa foi realizada ontem 25 de outubro de 2018, com 1.500 eleitorados. A divisão amostral foi feita da seguinte maneira Campo Grande (32%);  Região Sudoeste - Dourados / Maracaju / Ponta Porã / Amambaí / Caarapó / Naviraí / Ivinhema (34%); Região Leste –Três Lagoas / Nova Andradina / Chapadão do Sul / Cassilândia / Aparecida do Taboado (20%); Região Norte / Pantanasi – Corumbá / Sidrolândia / Ladário / Coxim (14%). A margem de erro é de 3,0% e o nível de confiança: 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o número MS-09808-2018// BR-00430-2018.

Veja Também

Bolsonaro entrega proposta para reforma da Previdência
Câmara quer Corregedoria atuante na Assembleia
Deputado pede investigação sobre furto de gado
Deputado propõe criação de frentes em defesa da criança e da mulher
Fake news são empecilho para vacinação contra HPV
Horário estendido nas unidades de saúde será debatido na Câmara
Trabalhador pode ter de contribuir por 49 anos, alerta senador
Nelsinho é escolhido coordenador da bancada de MS
Gustavo Bebianno é exonerado do governo Bolsonaro
STF nega recurso e Bernal segue inelegível