Campo Grande •29 de Junho de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Valdelice Bonifácio | Segunda, 20 de Março de 2017 - 20h35Na Record, prefeito dá bronca em empresas de ônibusConsórcio é multado quase diariamente e Marquinhos descarta aumentar tarifa

  
Prefeito Marquinhos Trad durante entrevista ao programa Cidade Alerta MS (Foto: Valdelice Bonifácio)
  • Prefeito Marquinhos Trad durante entrevista ao programa Cidade Alerta MS
  • Prefeito também falou sobre os medicamentos que já estão chegando após período de desabastecimento (Foto: Valdelice Bonifácio)
  • Porta que despencou de coletivo motivou uma das multas, revelou prefeito (Foto: Divulgação)

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) visitou a TV MS Record na noite desta segunda-feira, 20 de março, e, durante entrevista ao Cidade Alerta e Diário Digital,respondeu a questionamentos sobre vários assuntos, entre os quais o transporte público da Capital. Ele mencionou que o Consórcio Guaicurus, que reúne as empresas de ônibus, está sendo multado quase todos os dias pela Agência de Regulação do Município. “Eles não cumprem o papel deles”, criticou o prefeito que ainda classificou o serviço como “constrangimento da nossa cidade.”

Marquinhos Trad não soube dizer o montante da multa aplicada contra as empresas que integram o Consórcio, mas elencou situações que levaram à punição tais como a queda da porta de um coletivo (fato noticiado pelo Diário Digital em 6 de março. Confira matéria). “Nada funciona direito”, atacou.

Recentemente, a prefeitura anunciou que voltará a cobrar o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) das empresas de ônibus. O Consórcio estava isento do tributo desde a gestão de Alcides Bernal (PP). “Eles têm que pagar imposto. E não adianta ameaçar com aumento de tarifa. Eles têm é que melhorar a qualidade do serviço, colocar ônibus novos com ar condicionado e cadeiras acolchoadas”, cobrou. A volta do ISSQN garante R$ 10 milhões, por ano, à prefeitura de Campo Grande. O imposto voltará a ser cobrado das empresas no dia 1º de abril.

Diante da má qualidade do serviço prestado pelas empresas, o prefeito descartou reajustar o valor da tarifa, atualmente em R$ 3,55, neste ano. “Aumentar nem pensar. Com um serviço desses, tinha era que diminuir”, avalia Marquinhos.

O Consórcio é composto por Viação São Francisco, Jaguar Transportes Urbanos, Viação Cidade Morena e da Viação Campo Grande. As empresas disponibilizam para a população uma frota de 585 ônibus com idade média de sete anos, segundo informações da Agência de Regulação Municipal.

O Diário Digital buscou contatou com o Consórcio através de sua assessoria de imprensa, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria.

Veja Também
Com placar de 9 a 1, STF adia novamente decisão sobre delação da JBS
Temer indica Raquel Dodge para substituir Janot na chefia da PGR
CPI oficializa recebimento de TAREs e aprova termo de sigilo
Projeto de Picarelli amplia idade para ingresso na Polícia Civil
Fachin vai enviar denúncia contra Temer direito para Câmara dos Deputados
CPI recebe documentos da Sefaz e assina Termo de Confidencialidade
Denúncia é 'trama de novela', defende-se Temer
Michel Temer é denunciado por corrupção passiva
Michel Temer defende reformas e diz que 'não há plano B'
Declarações de Palocci sobre delação soaram mais como ameaça, diz Moro
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento