Campo Grande •23 de Maio de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Valdelice Bonifácio | Segunda, 20 de Março de 2017 - 20h35Na Record, prefeito dá bronca em empresas de ônibusConsórcio é multado quase diariamente e Marquinhos descarta aumentar tarifa

  
Prefeito Marquinhos Trad durante entrevista ao programa Cidade Alerta MS (Foto: Valdelice Bonifácio)
  • Prefeito Marquinhos Trad durante entrevista ao programa Cidade Alerta MS
  • Prefeito também falou sobre os medicamentos que já estão chegando após período de desabastecimento (Foto: Valdelice Bonifácio)
  • Porta que despencou de coletivo motivou uma das multas, revelou prefeito (Foto: Divulgação)

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) visitou a TV MS Record na noite desta segunda-feira, 20 de março, e, durante entrevista ao Cidade Alerta e Diário Digital,respondeu a questionamentos sobre vários assuntos, entre os quais o transporte público da Capital. Ele mencionou que o Consórcio Guaicurus, que reúne as empresas de ônibus, está sendo multado quase todos os dias pela Agência de Regulação do Município. “Eles não cumprem o papel deles”, criticou o prefeito que ainda classificou o serviço como “constrangimento da nossa cidade.”

Marquinhos Trad não soube dizer o montante da multa aplicada contra as empresas que integram o Consórcio, mas elencou situações que levaram à punição tais como a queda da porta de um coletivo (fato noticiado pelo Diário Digital em 6 de março. Confira matéria). “Nada funciona direito”, atacou.

Recentemente, a prefeitura anunciou que voltará a cobrar o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) das empresas de ônibus. O Consórcio estava isento do tributo desde a gestão de Alcides Bernal (PP). “Eles têm que pagar imposto. E não adianta ameaçar com aumento de tarifa. Eles têm é que melhorar a qualidade do serviço, colocar ônibus novos com ar condicionado e cadeiras acolchoadas”, cobrou. A volta do ISSQN garante R$ 10 milhões, por ano, à prefeitura de Campo Grande. O imposto voltará a ser cobrado das empresas no dia 1º de abril.

Diante da má qualidade do serviço prestado pelas empresas, o prefeito descartou reajustar o valor da tarifa, atualmente em R$ 3,55, neste ano. “Aumentar nem pensar. Com um serviço desses, tinha era que diminuir”, avalia Marquinhos.

O Consórcio é composto por Viação São Francisco, Jaguar Transportes Urbanos, Viação Cidade Morena e da Viação Campo Grande. As empresas disponibilizam para a população uma frota de 585 ônibus com idade média de sete anos, segundo informações da Agência de Regulação Municipal.

O Diário Digital buscou contatou com o Consórcio através de sua assessoria de imprensa, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria.

Veja Também
Lula é denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro
Delcídio diz que foi interrogado pelo Departamento de Justiça dos EUA
Governador suspeita de vingança do JBS em delação
OAB pede acesso às delações sobre políticos de MS
Servidores pedem apuração sobre verba do MSPrev
Crise pode atrasar reforma da Previdência, diz Meirelles
Cintra diz que nota fiscal citada em delação é verdadeira
Guias e notas emitidas pela JBS comprovam relação comercial legal, diz secretário
Vereador pede investigação sobre denuncias da JBS em MS
Temer reúne ministros e base aliada e pede que Congresso trabalhe normalmente
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - cirurgia.net
DothNews
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento