Menu
16 de julho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Super Banner Campo Grande Expo
Nacional

Mudança ampla no Estado é ruim para o país, afirma Temer

'Aquele desprezo absoluto às instituições renasce com uma força estupenda'

12 Jul2017Agência Brasil17h35

O presidente Michel Temer criticou hoje (12) propostas que almejem uma reforma mais ampla do Estado por meio de mudanças na Constituição, classificando qualquer movimento do tipo como “muito ruim para o país”.

“Estamos a 30 anos [de vigência da Constituição] e aquela coisa extraordinária do desprezo absoluto às instituições renasce com uma força estupenda”, disse Temer, com a voz exaltada. “E todos começam a dizer ‘temos crise, temos que mudar, criar um novo Estado brasileiro’, e isso é muito ruim para nosso país”, acrescentou.

As declarações foram dadas durante anúncio de novas linhas de financiamento para parcerias público-privadas em municípios. Temer chamou de “federalismo capenga” o atual nível de autonomia de municípios e estados.

Ele exaltou como “ousadia das melhores” o projeto de seu governo de implantar um federalismo efetivo, contrário a uma “vocação centralizadora” observada no país. “O povo gosta do órgão centralizador, do organismo que centralize tudo”, disse o presidente.

Temer ressaltou que após as reformas trabalhista e da Previdência pretende implantar “um federalismo real”, mesmo que com medidas a princípio consideradas impopulares. “Este governo o que quer é reconhecimento depois e não aplauso hoje, é isso que nós queremos.”

Veja Também

Produtores rurais de Sidrolândia fazem homenagem a Bolsonaro
Marun nega participação em supostas fraudes no Ministério do Trabalho
STF dá mais 30 dias para conclusão de investigação sobre Aécio
Juiz deverá consultar pais e MP antes de definir guarda de filhos
Deputado pede ao governo cronograma dos recursos da Cesp
Câmara define Comissão Representativa para o recesso parlamentar
Servidores pedem retirada de projeto sobre Previdência Complementar
Política MDB confirma convenção para o dia 4 de agosto Evento deve servir para confirmar chapa de candidatos majoritários e proporcionais
Justiça absolve Delcídio, Lula e mais cinco
TRE-MS quer evitar 'enxurrada' de cassações