Menu
25 de abril de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Super Banner SEGOV - VALE UNIVERDADE
Eleições 2018: Voto na Record

Mais votado quer cargo na Mesa Diretora

'Há candidatos com mais experiência, porém, experiência não é sinônimo de comprometimento'

8 Nov2018Valdelice Bonifácio14h14
(Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)

Do alto dos seus 78.390 votos, o capitão do Exército e deputado estadual eleito Renan Barbosa Contar, de 34 anos, quer figurar na Mesa Diretora da Assembleia Legislativa. “Acho que é da vontade popular que eu esteja em cargo de comando da Casa de Leis”, afirma o parlamentar mais votado das eleições deste ano. Nesta quinta-feira, 8 de Novembro, ele concedeu entrevistas ao programa de rádio Noticidade, ao programa de TV Balanço Geral e ao Diário Digital.

Contar revelou já ter sido sondado para composições de chapas, mas não fechou nada em relação a isso. “No meu parecer, existem outros candidatos à Mesa da Assembleia que podem ter mais experiência, porém, experiência não é sinônimo de comprometimento”, analisa. “Há algo que eu quero dizer: meu foco é no meu trabalho. Não estou aqui para fazer politicagem (...) Não vou misturar vaidade com trabalho”, acrescentou.

Contar é um estreante na política. Ele nunca esteve antes filiado a qualquer partido. O capitão ingressou no PSL neste ano sob as bênçãos de Jair Bolsonaro, eleito presidente da República.

O capitão admite ter se surpreendido com a votação que recebeu. “Trabalhávamos com a expectativa de obter cerca de 30 mil votos. Foi sim uma surpresa”, mencionou. Contar detalha que teve dificuldades nas eleições. “Pra começar, militares não podem participar de manifestações políticas fora do período de campanha. Eu comecei do zero e tive só 90 dias enquanto outros candidatos já estavam atuando faz tempo”, compara.

Ele cita ainda que não teve apoio de nenhum político local, fez uma campanha com poucos recursos e teve um tempo curto em televisão. “Não contratei ninguém. Só tive voluntários e fiz uma campanha forte nas redes sociais”, detalhou.

Em sua atuação parlamentar na Assembleia Legislativa, Contar pretende priorizar a Segurança, Educação e o combate à corrupção. “Na Segurança, por exemplo, já estou elaborando um projeto para garantir a integração das forças municipais, estaduais e federais. Poderíamos aproveitar melhor o que já existe do Sisfron (Sistema de Monitoramento das Fronteiras), por exemplo”, antecipa.

Contar também promete bradar contra qualquer iniciativa de ideologia de gêneros nas escolas e defender a escola sem partido.

A posse dos eleitos no pleito deste ano será no dia 1º de janeiro de 2019.

Veja Também

Segurança nas escolas será debatida em audiência na sexta-feira
MPF trabalhará para demarcação de terras indígenas
Ministro quer simplificar licenciamento sem abrir mão de garantias
Deputado diz que reforma da Previdência precisa ser 'calibrada'
Templos e entidades de assistência social podem ser isentados do ICMS
Campo Grande volta a ser destaque
Servidores protestam e interrompem sessão
Homem é morto com oito tiros
Indígenas pedem apoio no Congresso contra MP da demarcação de terras
PEC proíbe nomeação de autores de violência doméstica