Menu
22 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Operação Lava jato

PF cumpre mandados em Mato Grosso do Sul

Na sua 35ª fase a Operação realização prisões , conduções coercitivas e busca e apreensão

26 Set2016Laureano Secundo07h12

Em mais uma etapa da Operação Lava jato estão sendo cumprindo mandatos judiciais em Mato Grosso do Sul na manhã de hoje. Sendo a 35ª fase da que foi, batizada de "Omertà". São 45 mandados judiciais nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo e no Distrito Federal. São 27 de busca e apreensão, três de prisão temporária, e 15 de condução coercitiva.

O nome "Omertà" dado à investigação policial é uma referência à origem italiana do codinome que a construtora usava para fazer referência ao principal investigado da fase ("italiano"), bem como ao voto de silêncio que imperava no Grupo Odebrecht que, ao ser quebrado por integrantes do "setor de operações estruturadas" permitiu o aprofundamento das investigações.

O ex-ministro Antonio Palocci (PT) foi preso nesta segunda-feira (26) . Palocci é alvo porque, segundo as investigações, pediu ao doleiro Alberto Youssef R$ 2 milhões da cota de propinas do PP  para a campanha presidencial da presidente Dilma Rousseff em 2010. A denúncia foi feita pelo delator Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras. 

Veja Também

Presidenciável, Henrique Meirelles volta à Capital na segunda-feira
Câmara quer pressa em apreciar alterações
Reservista do serviço militar poderá atuar como policial voluntário
Biometria para deputados é implementada na Assembleia
ex-governador Cabral vira réu pela 24ª vez
Verba para UBS não sai e abre divergência política
Simone elogia retomada das obras de fábrica de fertilizantes em MS
Educação Ações podem acabar com cursos EaD na área da saúde em MS Medidas foram decididas em audiência pública da assembleia
Eleições 2018 Eleição sem dinheiro de empresários Pela 1ª vez, campanha eleitoral não terá financiamento de empresas
PF pede quebra de sigilo telefônico de Temer e ministros