Menu
26 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner ALMS - AUDIÊNCIA PÚBLICA
Liberdade Provisória

Juiz liberta casal Olarte e manda usar tornozeleira

Casal também deverá pagar fiança de R$ 14,960 cada para deixar sistema prisional

27 Set2016Valdelice Bonifácio16h04

O juiz Roberto Ferreira Filho, da 1ª Vara Criminal de Campo Grande, concedeu liberdade provisória ao ex-prefeito Gilmar Antunes Olarte a esposa dele Andreia Olarte que estão presos desde 15 de agosto por conta Operação Pecúnia, do Gaeco, braço investigativo do Ministério Público Estadual (MPE). O casal precisará pagar fiança de 17 salários mínimos, R$ 14,960 para cada. Além disso, ao deixar o sistema prisional, eles deverão usar monitoramento eletrônico, tornozeleiras, nos horários determinados pelo magistrado.

O advogado do casal Jail Azambuja está providenciando para que os dois sejam liberados ainda hoje. Ele precisa, primeiro, levantar o dinheiro da fiança. Contudo, a expectativa é de que os dois deixem a prisão na noite desta terça-feira. Olarte está no Presídio Militar, no Complexo Penal, no Jardim Noroeste e Andreia Olarte está no Presídio Feminino Irmã Irma Zorzi. 

No despacho, o juiz explica que não vê mais fundamento na manutenção da prisão preventiva,  pois a investigação já foi encerrada e Olarte renunciou ao cargo de vice-prefeito de Campo Grande. Assim, ele substituiu a prisão por medidas cautelares, tais como comparecimento mensal em juízo para comprovarem e demonstrarem suas atividades;  proibição de se ausentarem desta comarca, e, por extensão, também do País, sem prévia autorização judicial;  entrega dos passaportes em juízo, no prazo máximo de 24 horas a contar de suas liberações.

O juiz também proibiu o casal de manter contato com os demais co-denunciados e com as testemunhas de acusação. Foi determinado o  recolhimento domiciliar, com monitoramento eletrônica, nos seguintes períodos e horários: de segunda à sexta-feira, das 20:00 às 06:00 horas do dia seguinte; das 20:00 horas de sexta às 06:00 horas de segunda. O casal também está obrigado a permanência integral na residência durante os sábados, domingos e feriados.

Junto com Olarte e Andreia, outras duas pessoas foram presas no dia 15 de agosto, o empresário Evandro Farinelli e o corretor de imóveis Ivamil Rodrigues, que teriam ajudado o casal nas negociatas. Os dois tiveram as prisões revogadas pelo mesmo juiz e já estão em liberdade.

Operação Pecúnia - A Operação Pecúnia apura se Olarte adquiriu dinheiro ilegalmente no período em que comandou a prefeitura de Campo Grande (março de 2014 a agosto de 2015). Ele teria comprado imóveis de valores elevados e colocado alguns em nome de terceiros. Os bens adquiridos seriam incompatíveis com a renda do casal, segundo as investigações. Desde o início das investigações, ambos sempre alegaram inocência, conforme os advogados.

Veja Também

Cãmara Prefeitura presta contas Situação financeira da Capital será debatida na segunda-feira
Assembleia Deputados analisam, prestação de contas da Saúde Relatório do primeiro quadrimestre será votado e aprovado por parlamentares
Múltipla escolha eleitoral
Pedro Chaves defende caminhoneiros e critica gestão da Petrobras
Projeto de lei cria programa de amparo à mulher alcoólatra em MS
Temer entra com ação no STF para desbloquear rodovias
Forças federais vão desbloquear rodovias
Simone comemora destinação de 30% do fundo eleitoral para mulheres
TSE define quanto cada partido receberá de fundo eleitoral
Reoneração é aprovada com erro e projeto será ajustado, diz Marun