Campo Grande •28 de Abril de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Valdelice Bonifácio | Terça, 27 de Setembro de 2016 - 16h04Juiz liberta casal Olarte e manda usar tornozeleiraCasal também deverá pagar fiança de R$ 14,960 cada para deixar sistema prisional

Casal Olarte em 15 de Agosto quando foram presos pelo Gaeco, na Operação Pecúnia
Casal Olarte em 15 de Agosto quando foram presos pelo Gaeco, na Operação Pecúnia

O juiz Roberto Ferreira Filho, da 1ª Vara Criminal de Campo Grande, concedeu liberdade provisória ao ex-prefeito Gilmar Antunes Olarte a esposa dele Andreia Olarte que estão presos desde 15 de agosto por conta Operação Pecúnia, do Gaeco, braço investigativo do Ministério Público Estadual (MPE). O casal precisará pagar fiança de 17 salários mínimos, R$ 14,960 para cada. Além disso, ao deixar o sistema prisional, eles deverão usar monitoramento eletrônico, tornozeleiras, nos horários determinados pelo magistrado.

O advogado do casal Jail Azambuja está providenciando para que os dois sejam liberados ainda hoje. Ele precisa, primeiro, levantar o dinheiro da fiança. Contudo, a expectativa é de que os dois deixem a prisão na noite desta terça-feira. Olarte está no Presídio Militar, no Complexo Penal, no Jardim Noroeste e Andreia Olarte está no Presídio Feminino Irmã Irma Zorzi. 

No despacho, o juiz explica que não vê mais fundamento na manutenção da prisão preventiva,  pois a investigação já foi encerrada e Olarte renunciou ao cargo de vice-prefeito de Campo Grande. Assim, ele substituiu a prisão por medidas cautelares, tais como comparecimento mensal em juízo para comprovarem e demonstrarem suas atividades;  proibição de se ausentarem desta comarca, e, por extensão, também do País, sem prévia autorização judicial;  entrega dos passaportes em juízo, no prazo máximo de 24 horas a contar de suas liberações.

O juiz também proibiu o casal de manter contato com os demais co-denunciados e com as testemunhas de acusação. Foi determinado o  recolhimento domiciliar, com monitoramento eletrônica, nos seguintes períodos e horários: de segunda à sexta-feira, das 20:00 às 06:00 horas do dia seguinte; das 20:00 horas de sexta às 06:00 horas de segunda. O casal também está obrigado a permanência integral na residência durante os sábados, domingos e feriados.

Junto com Olarte e Andreia, outras duas pessoas foram presas no dia 15 de agosto, o empresário Evandro Farinelli e o corretor de imóveis Ivamil Rodrigues, que teriam ajudado o casal nas negociatas. Os dois tiveram as prisões revogadas pelo mesmo juiz e já estão em liberdade.

Operação Pecúnia - A Operação Pecúnia apura se Olarte adquiriu dinheiro ilegalmente no período em que comandou a prefeitura de Campo Grande (março de 2014 a agosto de 2015). Ele teria comprado imóveis de valores elevados e colocado alguns em nome de terceiros. Os bens adquiridos seriam incompatíveis com a renda do casal, segundo as investigações. Desde o início das investigações, ambos sempre alegaram inocência, conforme os advogados.

Veja Também
Em depoimento a Moro, Cabral admite ter recebido caixa 2
Em São Gabriel, vereadores devolvem R$ 350 mil à prefeitura
Para Pedro Chaves, Lei do Abuso de Autoridade é inoportuna
CPI do Táxi da Capital já tem composição definida
Presidente do Senado está na UTI
MS pode ganhar data para celebrar Dia do Capelão
Quarta, 26 de Abril de 2017 - 12h17Temer exonera três ministros para votar reforma trabalhista na Câmara Relatório da reforma trabalhista foi aprovado ontem (25)
'Governo está mais otimista com economia', diz Reinaldo
Aprovado projeto que prevê controle das despesas do Município
STF revoga prisão domiciliar e Bumlai fica em liberdade
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothShop
DothNews
Rec banner - cirurgia.net
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento