Menu
21 de outubro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner CCR-MS Via
Nacional

Impacto do reajuste aprovado pelo STF poderá chegar a 4,5 bilhões nas contas públicas

Isso levando em consideração apenas a repercussão sobre os salários dos demais juízes federais, ministros do TCU e elevação do teto do funcionalismo

12 Ago2018Agência do Rádio Mais15h08

Um estudo da Comissão de Assuntos Legislativos do Senado aponta que o aumento salarial do STF fará um estrago no orçamento, e causará efeito cascata nos cofres públicos, chegando ao valor aproximado de 4,5 bilhões por ano.

Essa previsão de 4,5 bilhões ano é uma estimativa, isso porque a Constituição prevê que a remuneração dos integrantes do Supremo, que representa o teto do funcionalismo público, sirva de base para definir os vencimentos dos 513 deputados, 51 senados, parlamentares estaduais e municipais, procuradores da República, promotores e milhares de juízes.

A perspectiva é que o impacto nos cofres da União poderá chegar a R$ 1,5 bilhão por ano, isso levando em consideração apenas a repercussão sobre os salários dos demais juízes federais, ministros do TCU e elevação do teto do funcionalismo.

Nos estados o efeito também poderá ser grande, isso porque apenas com a elevação dos subsídios da magistratura estadual, o estudo estima um impacto anual superior a 1,23 bilhão nas despesas dos 27 estados.

Caso o reajuste seja aprovado pelo Congresso, o Judiciário terá, por lei, que passar a tesoura em outras despesas. Só o STF terá incremento de R$ 3 milhões na folha de pessoal em 2019. No Judiciário, os gastos crescerão mais de R$ 700 milhões.

O reajuste foi aprovado pelos ministros do Supremo em sessão administrativa realizada na última quinta-feira (9), a decisão foi tomada por 7 votos a 4.

A medida já foi aprovada pela Câmara, passou pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado, e agora aguarda apreciação do plenário da Casa.

Veja Também

Pela democracia, mulheres vão às ruas na Capital e em várias cidades
PF abre inquérito para investigar fake news envolvendo candidatos
WhatsApp remove contas de disparo em massa de notícias falsas
Campanha eleitoral é dominada por troca de acusações sobre fake news
Simone Tebet cotada para presidência do Senado
Odilon de Oliveira nega orientação para fake news
Ação combate ‘fake news’ contra Reinaldo após denúncia
Odilon é rejeitado por 30% e Reinaldo 28%
Pesquisa mede possibilidade de mudança de voto
Jair Bolsonaro amplia vantagem