Menu
21 de janeiro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Eleições 2018

Harfouche volta a ser candidato ao Senado

PSC rompe com MDB e lançará apenas o procurador-licenciado na disputa majoritária deste ano

14 Ago2018Valdelice Bonifácio16h35

O procurador-licenciado Sérgio Harfouche voltou a ser candidato ao Senado. A decisão foi anunciada nesta terça-feira, 14 de agosto. O PSC, partido de Harfouche, rompeu com o MDB e não terá candidato a governador no Estado, mas apenas um postulante a senador na disputa majoritária.

Harfouche iniciou a corrida eleitoral como pré-candidato ao Senado, mais tarde anunciou que concorreria ao governo. Porém, devido à decisão da cúpula nacional do PSC foi levado a integrar a chapa encabeçada pelo MDB como vice de Simone Tebet. A chapa Simone-Harfouche foi anunciada em grande evento na Capital em 4 de agosto.

Porém, a situação mudou completamente no domingo passado, 12 de agosto, quando Simone desistiu da candidatura ao governo. Ela chegou a propor que Harfouche assumisse a cabeça da chapa, ideia que não encontrou apoio em muitos integrantes do MDB.

O PSC esperou uma resposta do MDB até o meio-dia de hoje como não houve manifestação, o partido de Harfouche definiu seus próprios caminhos. “Entendemos que não havia mais tratativas em relação a candidaturas”, disse um integrante do PSC.

Já o MDB permanece em reunião nesta terça-feira para decidir de que forma participará nas eleições deste ano. Uma possibilidade é lançar chapa pura ao governo do Estado.

Veja Também

Vereador investigado por corrupção é preso novamente
Ex-secretário de Fazenda de Dourados é considerado foragido
Presidente da Câmara Municipal renuncia ao cargo
Capitão Contar admite disputar prefeitura em 2020
Lei veda empréstimo com recursos oficiais a quem deve FGTS
Bolsonaro assina decreto que flexibiliza a posse de armas
MPE pede ressarcimento de pagamentos irregulares de diárias
STF vai julgar casos polêmicos a partir do próximo mês
Vereadores debatem decreto sobre grandes geradores de lixo
Bolsonaro veta regulamentação sobre pagamento com cheques