Menu
20 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Independência

Festa da Independência leva 40 mil ao Centro da Capital

Como nos anteriores, houve protestos e vaias; Grito dos Excluídos fechou desfile

7 Set2017Da redação14h11
(Foto: Divulgação/Governo de MS)
  • (Foto: Divulgação/Governo de MS)
  • (Foto: Divulgação/Governo de MS)
  • (Foto: Divulgação/Governo de MS)
  • (Foto: Divulgação/Governo de MS)
  • (Foto: Divulgação/Governo de MS)
  • (Foto: Divulgação)
  • (Foto: Divulgação)
  • (Foto: Divulgação)
  • (Foto: Divulgação)
  • (Foto: Divulgação)
  • (Foto: Divulgação)

O desfile cívico que celebra a Independência do Brasil levou cerca de 40 mil pessoas ao Centro de Campo Grande nesta quinta-feira, 7 de Setembro. A estimativa é da Polícia Militar (PM) e foi contabilizada no auge do comparecimento popular à Rua 14 Julho, local do evento, no Centro de Campo Grande.

O palanque das autoridades estava lotado. Compareceram o governador Reinaldo Azambuja (PSDB); do general da brigada José Carlos Braga de Avellar, chefe do Comando Militar do Oeste;  a vice-governadora, Rose Modesto (PSDB), a vice-prefeita Adriane Lopes (PEN) além de secretários estaduais, deputados e vereadores.

A cerimônia começou com o acendimento da Chama Sagrada da Pátria, simbolizando o calor patriótico do povo brasileiro. As tropas do Exército, compostas por 2.100 militares, deram continuidade ao desfile, seguidos por 750 integrantes da Base Aérea de Campo Grande, do Pelotão de 50 homens da Marinha e dos militares das Forças Auxiliares do Estado – Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, que se apresentaram motorizados.

Como nos anos anteriores, houve protestos populares, vaias às autoridades, mas que em nada atrapalharam o andamento do desfile. O já tradicional Grito dos Excluídos fechou o desfile. Neste ano, além dos gritos de “Fora Temer” os excluídos bradaram contra as reformas trabalhista e da Previdência.

Veja Também

Câmara quer pressa em apreciar alterações
Reservista do serviço militar poderá atuar como policial voluntário
Biometria para deputados é implementada na Assembleia
ex-governador Cabral vira réu pela 24ª vez
Verba para UBS não sai e abre divergência política
Simone elogia retomada das obras de fábrica de fertilizantes em MS
Educação Ações podem acabar com cursos EaD na área da saúde em MS Medidas foram decididas em audiência pública da assembleia
Eleições 2018 Eleição sem dinheiro de empresários Pela 1ª vez, campanha eleitoral não terá financiamento de empresas
PF pede quebra de sigilo telefônico de Temer e ministros
Senadora de MS sugere Comissão sobre Segurança Pública