Menu
18 de fevereiro de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Energisa

Deputado doa verba indenizatória para CPI

Parlamentar informou ter economizado cota durante o ano inteiro e agora quer doar para investigações

5 Nov2019Da redação16h42

A criação de uma CPI para investigar a Energisa por conta dos aumentos considerados excessivos nas contas de luz movimentou a sessão da Assembleia Legislativa desta terça-feira, 5 de Novembro. O deputado João Henrique (PL) anunciou a doação de R$ 100 mil em sua verba indenizatória para a criação da CPI.

“Passei o ano inteiro economizando a minha cota parlamentar e não gastei um centavo dela com assessoria jurídica. Assim, estou renunciando e, se preciso for, formalmente, a tudo aquilo que economizei para ser usado em qualquer CPI proposta por deputado. Tem R$ 100 mil economizados de cota parlamentar, e eu a estou doando para quem quiser fazer uma CPI”, disse.

O parlamentar se pronunciou após reunião fechada entre os deputados estaduais para discutir críticas feitas pelo deputado federal Loester Trutis (PSL). Em sua rede social, Trutis publicou vídeo questionando o custo anunciado de R$ 200 mil para o funcionamento da CPI.

Trutis analisa que tal valor não faz sentido porque a Assembleia tem estrutura e assessorias técnicas para o trabalho de apuração. Além disso, ele atacou os parlamentares que não assinaram o requerimento do deputado Capitão Contar, também do PSL, para criar a CPI da Energisa.

Esvaziamento - Diante disso, os deputados se reuniram e decidiram esvaziar o requerimento de Contar e aderir a outro que será apresentado pelo deputado Felipe Orro (PSDB). Eles temem exploração política da CPI proposta por Contar. Dessa forma, três dos seis parlamentares que tinham assinado o requerimento anunciaram o recuo nas adesões, são eles, o próprio João Henrique, Evander Vandramini (PP) e Neno Razuk (PTB).

Orro ainda não apresentou o documento formalmente, mas na sessão desta terça-feira já buscava adesões em plenário.

A assessoria de imprensa do deputado João Henrique informou que antes de anunciar a doação da verba em plenário, o parlamentar fez estudos com sua assessoria jurídica e constatou que a destinação do dinheiro para a CPI pode ser feita sem ferir o regimento da Casa de Leis.

Veja Também

Vereador da Capital deixa PSDB e ingressa no Democratas
DOF prende uma tonelada de maconha
Atentado
Deputados se solidarizam com família de jornalista morto na fronteira
Para Simone Tebet, morte de jornalista expõe falta de segurança na fronteira
36ª Zona Eleitoral da Capital altera locais de votação para as eleições
Prefeitura presta contas em audiência convocada pela Câmara
Gerson Claro é o novo líder do Governo
Deputados de MS tomam posse na diretoria executiva da Unale
Nelsinho assume presidência da delegação brasileira no Parlasul