Menu
19 de novembro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Energisa

Deputado doa verba indenizatória para CPI

Parlamentar informou ter economizado cota durante o ano inteiro e agora quer doar para investigações

5 Nov2019Da redação16h42

A criação de uma CPI para investigar a Energisa por conta dos aumentos considerados excessivos nas contas de luz movimentou a sessão da Assembleia Legislativa desta terça-feira, 5 de Novembro. O deputado João Henrique (PL) anunciou a doação de R$ 100 mil em sua verba indenizatória para a criação da CPI.

“Passei o ano inteiro economizando a minha cota parlamentar e não gastei um centavo dela com assessoria jurídica. Assim, estou renunciando e, se preciso for, formalmente, a tudo aquilo que economizei para ser usado em qualquer CPI proposta por deputado. Tem R$ 100 mil economizados de cota parlamentar, e eu a estou doando para quem quiser fazer uma CPI”, disse.

O parlamentar se pronunciou após reunião fechada entre os deputados estaduais para discutir críticas feitas pelo deputado federal Loester Trutis (PSL). Em sua rede social, Trutis publicou vídeo questionando o custo anunciado de R$ 200 mil para o funcionamento da CPI.

Trutis analisa que tal valor não faz sentido porque a Assembleia tem estrutura e assessorias técnicas para o trabalho de apuração. Além disso, ele atacou os parlamentares que não assinaram o requerimento do deputado Capitão Contar, também do PSL, para criar a CPI da Energisa.

Esvaziamento - Diante disso, os deputados se reuniram e decidiram esvaziar o requerimento de Contar e aderir a outro que será apresentado pelo deputado Felipe Orro (PSDB). Eles temem exploração política da CPI proposta por Contar. Dessa forma, três dos seis parlamentares que tinham assinado o requerimento anunciaram o recuo nas adesões, são eles, o próprio João Henrique, Evander Vandramini (PP) e Neno Razuk (PTB).

Orro ainda não apresentou o documento formalmente, mas na sessão desta terça-feira já buscava adesões em plenário.

A assessoria de imprensa do deputado João Henrique informou que antes de anunciar a doação da verba em plenário, o parlamentar fez estudos com sua assessoria jurídica e constatou que a destinação do dinheiro para a CPI pode ser feita sem ferir o regimento da Casa de Leis.

Veja Também

Maia quer votação de pacote anticrime na Câmara na próxima semana
Aprovado reajuste para prefeito, vice e servidores
Sem acordo com oposição, Bolívia pode ter eleições por decreto
Brasil e China firmam acordos em áreas como política, comércio e saúde
Brasil reconhece nova presidente da Bolívia
Sob protestos, aumento de tributos é aprovado
Evo Morales renuncia ao cargo de presidente da Bolívia
Agenda Saúde e agropecuária são temas de audiência Eventos devem discutir realidade do setor rual a situação do combate a Dengue, Zika e Chikugunia
Mesmo livre, Lula não pode se candidatar à sucessão presidencial
Justiça manda soltar ex-ministro José Dirceu