Menu
19 de outubro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Congresso

CPI das Fake News analisa plano de trabalho nesta terça-feira

Comissão vai votar o plano de trabalho apresentado pela relatora, deputada Lídice da Mata

16 Set2019Agência Senado17h58

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPI) das Fake News reúne-se na próxima terça-feira (17), a partir das 10h10, para aprovar o plano de trabalho apresentado pela relatora, deputada Lídice da Mata (PSB-BA).

O documento traz um cronograma até o fim de novembro, com audiências públicas com especialistas e autoridades, missões externas, sessões de debates e reuniões técnicas e administrativas. Segundo a senadora, além dos estudos e pareceres técnicos elaborados, haverá espaço para a interação com a sociedade, com o uso de ferramentas de consulta pública.

“Busca-se uma CPI técnica, que seja capaz de apurar responsabilidades e, mais que isso, de apresentar sugestões concretas para o aperfeiçoamento da legislação e das políticas públicas. Com isso, realizaremos uma das funções mais importante do Congresso Nacional, que é a fiscalizadora”, justificou Lídice no plano de trabalho.

Na última semana de setembro, a deputada pretende fazer um encontro para conceituar o fenômeno das fake news na sociedade. No dia 1º de outubro está previsto um debate sobre o cyberbullying, as fake news, os crimes de ódio e o suicídio.

Os integrantes da comissão darão o seu aval à proposta de calendário e já devem aprovar requerimento de audiência pública para debater o fenômeno social das notícias falsas com os seguintes convidados: Wilson Gomes, da Universidade Federal da Bahia; Emmanuel Publio Dias, da Escola Superior de Propaganda e Marketing; Mariana de Siqueira, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte; Leonel Azevedo de Aguiar, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro; André Miceli, da Fundação Getúlio Vargas; e um representante da Agência Lupa, que investiga e denuncia fake news.

A CPMI das Fake News foi instalada no último dia 4,

Composta por 16 senadores, 16 deputados e igual número de suplentes, a CPI mista terá 180 dias para investigar a criação de perfis falsos e ataques cibernéticos nas diversas redes sociais, com possível influência no processo eleitoral e debate público. A prática de cyberbullying contra autoridades e cidadãos vulneráveis também será investigada pelo colegiado, assim como o aliciamento de crianças para o cometimento de crimes de ódio e suicídio. O presidente é o senador Angelo Coronel (PSD-BA).

A reunião ocorrerá na sala 2 da ala senador Nilo Coelho.

Veja Também

Senado entra em semana decisiva para a reforma da Previdência
Plenário poderá votar ampliação do porte e posse de armas
Bolsonaro destaca ações do governo em outubro
Dia das Crianças: Projetos de lei em MS visam garantir direitos fundamentais
MS deve receber mais R$ 70 milhões da partilha dos leilões
Bancada federal de MS definirá na próxima semana as emendas para 2020
PEC  profunda, mas não profana, diz Simone Tebet sobre Previdência
Câmara aprova cobrança gradual de ISS de empresas de ônibus
8ª Zona Eleitoral altera locais de votação para Eleições 2020
Assembleia disciplina uso de cotas para deputados estaduais