Menu
19 de novembro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Poder Legislativo

CPI da Energisa deve ser instalada na próxima semana

Todos os deputados assinaram; única exceção foi o presidente da Assembleia Legislativa, que em virtude do cargo se abstém

7 Nov2019Da redação13h55

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Energisa deverá ser instalada na Assembleia Legislativa na próxima semana. Todos os deputados estaduais assinaram o requerimento apresentado pelo deputado Felipe Orro (PSDB), na sessão de ontem (7), para instaurar a comissão que vai investigar os aumentos considerados abusivos  nas contas de energia elétrica nos últimos meses em Mato Grosso do Sul.

Entre os 24 parlamentares, apenas o presidente da Casa de Leis, deputado Paulo Corrêa (PSDB) que em virtude do cargo se abstém.  "Conseguimos essa unanimidade porque temos embasamento, fato concreto e uma farta documentação que nos subsidia a conduzir essa investigação e dar uma resposta ao povo sul-mato-grossense, que não aguenta mais tanto aumento sem justificativa", disse Felipe Orro.

Os próximos passos até o início dos trabalhos da CPI, propriamente ditos, será a publicação do requerimento em Diário Oficial, e também, a definição dos membros titulares e suplentes (ao todo cinco de cada) da Comissão que deverão marcar “imediatamente” a primeira reunião para eleger os relatores, bem como o presidente e o vice-presidente. “Na próxima semana já faremos este primeiro encontro”, garante o parlamentar que não descartou a possibilidade de novas audiências públicas debatendo o assunto no interior do Estado.

O prazo legal para apresentação do relatório final é de 120 dias. Após toda apuração das denúncias, caso seja comprovado o erro na cobrança da fatura de energia por parte da concessionária, será exigido um reparo aos consumidores lesados. “Nós queremos que se faça justiça, devolvendo valores aos consumidores e que a partir de agora, cobre um valor justo na conta de energia elétrica”, ponderou.

Energisa - Em sua última manifestação sobre o assunto, a Energisa informou, na tarde de quarta-feira, dia 6, que ainda não tinha sido notificada sobre o CPI, mesmo porque ela ainda não havia sido instaurada. "A Energisa reforça que a empresa continuará atuando de forma transparente e próxima dos clientes, e está à disposição para prestar todos os esclarecimentos à população do estado e aos demais representantes da sociedade", disse a empresa na nota.

(Com informações da assessoria de imprensa parlamentar)

Veja Também

Maia quer votação de pacote anticrime na Câmara na próxima semana
Aprovado reajuste para prefeito, vice e servidores
Sem acordo com oposição, Bolívia pode ter eleições por decreto
Brasil e China firmam acordos em áreas como política, comércio e saúde
Brasil reconhece nova presidente da Bolívia
Sob protestos, aumento de tributos é aprovado
Evo Morales renuncia ao cargo de presidente da Bolívia
Agenda Saúde e agropecuária são temas de audiência Eventos devem discutir realidade do setor rual a situação do combate a Dengue, Zika e Chikugunia
Mesmo livre, Lula não pode se candidatar à sucessão presidencial
Justiça manda soltar ex-ministro José Dirceu