Menu
22 de novembro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Morte a esclarecer

Corpo de jovem é encontrado

De acordo com a polícia os amigos mentiram sobre o desaparecimento da vítima

12 Ago2019Da redação11h10

O corpo do jovem Wendel Alves da Silva, de 21 anos foi encontrado boiando no rio Taquari, por volta de 06 horas da manhã desta segunda-feira (12), aos fundos da ACIAC (Associação Comercial, Industrial e Agropastoril de Coxim), no centro da cidade.

De acordo com Informaçõe são de que um pescador viu o corpo boiando no rio e o amarrou, em seguida avisou a PMA  (Polícia Militar Ambiental) que em seguida acionou o Corpo de Bombeiros. O corpo estava a aproximadamente 800 metros do local do afogamento.

O corpo do rapaz foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) de Coxim, onde será submetido a um exame necroscópico.

Entenda o caso – Wendel saiu para pescar no início da noite de quarta-feira, na região onde o córrego Fortaleza deságua no rio Taquari, ele estava com dois colegas de trabalho Anderson Damião Franco Silva, de 30 anos e Valderley da Silva, de 35 anos.

Anderson e Valderley concederam entrevista ao Coxim Agora, site da cidade na noite de quinta-feira (08), a respeito do afogamento e desaparecimento do jovem.

Silva e Sampaio foram os últimos a ver Wendel com vida e, segundo eles, o jovem teria possivelmente se enroscado na rede de pesca, se afogado e em seguida desaparecido nas águas do rio Taquari.

Anderson contou que conhecia Wendel há aproximadamente 5 meses, juntamente com Valderley combinaram de pescar utilizando rede na modalidade arrastão, na noite de quarta-feira, no perímetro urbano da cidade, aos fundos de um areeiro.

Por volta de 18h48min de quarta-feira, Valderley buscou Wendel em casa, em seguida, os três foram até a região barra do Fortaleza, onde pegaram um barco e a rede de aproximadamente 60 metros.

De acordo com os depoentes, por não saber nadar, Valderley ficou no barranco as margens do rio, enquanto isso, Wendel pegou uma ponta da rede e foi até o meio do rio, que não estava muito cheio e por isso era possível caminhar com facilidade, já a função de Anderson era segurar a outra ponta da rede.

Segundo Anderson, no momento em que eles estavam passando a rede, ele sentiu um puxão, em seguida, escutou Wendel pedir socorro, apesar de estar bastante escuro, ele foi em direção a Wendel e tentou ajudá-lo, no entanto, o jovem ficou desesperado e passou a puxá-lo para o fundo, sem ter o que fazer, ele apenas evitou se afogar. O jovem se afogou e desapareceu nas águas do rio por volta de 20 horas.

Em choque, Anderson e Valderley pegaram o barco e passaram a realizar buscas pelo rapaz, mas sem sucesso, eles permaneceram no local até meia noite, mas sem sucesso.

Veja Também

Deputados aprovam projetos da nota premiada e Refis
Mesa Diretora da Assembleia designa membros da CPI da Energisa
Maia quer votação de pacote anticrime na Câmara na próxima semana
Aprovado reajuste para prefeito, vice e servidores
Sem acordo com oposição, Bolívia pode ter eleições por decreto
Brasil e China firmam acordos em áreas como política, comércio e saúde
Brasil reconhece nova presidente da Bolívia
Sob protestos, aumento de tributos é aprovado
Evo Morales renuncia ao cargo de presidente da Bolívia
Agenda Saúde e agropecuária são temas de audiência Eventos devem discutir realidade do setor rual a situação do combate a Dengue, Zika e Chikugunia