Campo Grande •23 de Junho de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Agência Brasil | Sexta, 10 de Fevereiro de 2017 - 19h49Cabral, Adriana Ancelmo e Eike Batista viram réus na Justiça FederalEx-governador e esposa foram denunciados por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

(Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

A 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro aceitou denúncia oferecida hoje (10) contra o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, sua mulher, Adriana Ancelmo, o empresário Eike Batista e mais seis pessoas. O Ministério Público Federal denunciou Cabral, Eike e Adriana por corrupção e lavagem de dinheiro.

Eles já estavam com prisão preventiva decretada por causa das investigações das operações Calicute e Eficiência, que apuram desvio de dinheiro público do estado do Rio de Janeiro.

Cabral e Adriana foram denunciados por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, assim como os ex-assessores de Cabral Wilson Carlos e Carlos Miranda.

O dono das empresas EBX, Eike Batista, e seu braço direito, o advogado Flávio Godinho, foram denunciados por corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

Já os irmãos Renato e Marcelo Chebar, que trocaram delações detalhando o esquema de Cabral por redução de pena, além de Luiz Arthur Andrade Correia, vão responder à Justiça por evasão de divisas e por manter recursos não declarados no exterior. Entre os denunciados hoje pelo Ministério Público, eles são os únicos que não estão presos.

Veja Também
Cosip: 'Me encontrem uma maneira para não cobrar'
MPE recomenda a prefeito que regularize prática de nepotismo
Maioria do STF confirma delações da JBS e Fachin relator
Juiz suspende verbas indenizatórias a vereadores da Capital
Bernal recorrerá da decisão do TCE sobre lâmpadas de LED
TCE mantém suspensa compra de lâmpadas de LED
Dois ministros votam contra revisão de delação pedida por Reinaldo
Governo e JBS têm 5 dias para entregar documentos
Quarta, 21 de Junho de 2017 - 10h30Henrique Alves e Eduardo Cunha são denunciados pelo MPF no Rio Grande do Norte Ex-parlamentares são acusados de receber pelo menos R$ 11,5 milhões em propinas de empreiteiras
Quarta, 21 de Junho de 2017 - 09h37Envolvido no caso Odebrecht, controlador-geral do Equador renuncia Anúncio sobre a saída de Pólit foi feito pelo presidente da Assembleia Nacional (Parlamento), o governista José Serrano, no...
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothShop
Rec banner - Patio central
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento