Menu
21 de outubro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner CCR-MS Via
Caso Omep e Seleta

Bloqueio de bens é para indenizar cofres públicos

Juiz bloqueou R$ 16 milhões em bens de Nelsinho Trad, Alcides Bernal e Gilmar Olarte

13 Jan2018Da redação16h00

O Juiz de Direito da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, David de Oliveira Gomes, determinou o bloqueio de R$ 16 milhões em bens dos ex-prefeitos de Campo Grande Nelsinho Trad, Alcides Bernal e Gilmar Olarte. A Ação Civil de Improbidade Administrativa foi movida pelo Ministério Público Estadual (MPE) de Mato Grosso do Sul.

O objetivo é garantir a indenização dos prejuízos causados aos cofres públicos municipais, por conta de contratações “fictícias” (funcionários fantasmas) e de pagamentos em duplicidade nos convênios do Município de Campo Grande com as entidades Seleta e Omep durante os anos de 2012 a 2016.

De acordo com a Decisão, os convênios celebrados deveriam prezar pela aplicação e preservação das ações de atenção e de atendimento à criança e aos adolescentes do Município de Campo Grande, mas foram utilizados como “meio para a prática de clientelismo político, para se contratar servidores sem aprovação em concurso público e para burlar a Lei de Responsabilidade Fiscal”.

Por se tratar de ato de improbidade administrativa com lesão aos cofres públicos e ainda, por já responderem a outros processos de várias ações dessa natureza, o juiz deferiu pelo bloqueio de bens dos três ex-prefeitos do Município de Campo Grande, Nelson Trad Filho, Alcides Bernal e Gilmar Olarte, para garantir a reparação dos danos que possam ser reconhecidos no futuro.

De acordo com a decisão do Juiz, o valor do pedido de indisponibilidade de bens dos requeridos é até o limite de R$ 16.089.933,42.

Cabe recurso à decisão.

(Com informações da assessoria de imprensa do Ministério Público Estadual)

Veja Também

Pela democracia, mulheres vão às ruas na Capital e em várias cidades
PF abre inquérito para investigar fake news envolvendo candidatos
WhatsApp remove contas de disparo em massa de notícias falsas
Campanha eleitoral é dominada por troca de acusações sobre fake news
Simone Tebet cotada para presidência do Senado
Odilon de Oliveira nega orientação para fake news
Ação combate ‘fake news’ contra Reinaldo após denúncia
Odilon é rejeitado por 30% e Reinaldo 28%
Pesquisa mede possibilidade de mudança de voto
Jair Bolsonaro amplia vantagem