Campo Grande •19 de Fevereiro de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Banner Governo do Estado - Campanha Dengue

Valdelice Bonifácio | Terça, 4 de Outubro de 2016 - 14h00Bernal: ‘no muro só caco de vidro e gato safado’Prefeito decidirá junto com o partido posicionamento para este segundo turno

Alcides Bernal diz que partido elencou três possibilidades: voto nulo, apoio a Marquinhos ou apoio a Rose; decisão sai até amanhã
Alcides Bernal diz que partido elencou três possibilidades: voto nulo, apoio a Marquinhos ou apoio a Rose; decisão sai até amanhã (Foto: Valdelice Bonifácio)

O prefeito de Campo Grande Alcides Bernal deve anunciar nesta quarta-feira, 5 de outubro, seu posicionamento para o segundo turno das eleições para a prefeitura da Capital. A decisão será tomada em conjunto com seu partido, o PP, cujos filiados já levantaram três possibilidades em reuniões preliminares: voto nulo, apoio a Marquinhos Trad (PSD) ou Roseane Modesto (PSDB).

Bernal esclarece que é contra o voto nulo e defende que o partido assuma posição. “Em cima do muro só caco de vidro e gato safado”, analisa. “No máximo até amanhã teremos uma posição. Vou conversar com o diretório estadual e diretório nacional”, disse durante entrevista ao Programa Noticidade, da Rádio FM Cidade.

O prefeito afirma não ter preferência entre os dois nomes que estão na disputa e faz comparações. “Uma é Rose Modesto, a candidata do governador Reinaldo Azambuja que quer impor seu modus operandi em Campo Grande.” “O outro é de uma família, um grupo que já conhecemos. Ele afirma que é diferente dos irmãos (...) diz não ter ligações com coisas erradas.”

A escolha pessoal de Bernal levará em consideração o projeto dos dois postulantes para Campo Grande. “Vou analisar os compromissos que cada qual pretende assumir. Aquele que garantir que vai cuidar de Campo Grande como deve ser e que vai implementar políticas que eu apresentei no meu programa de governo, este vai ter o meu apoio. Agora, se o partido decidir pelo voto nulo, apesar de ser contra, vou respeitar isso”, ponderou.

O prefeito não está no segundo turno por uma diferença 2,6 mil votos em relação à candidata Roseane Modesto.  Bernal obteve 111.128 votos (26,01%) e Rose 113.738 votos ou 26,62% do total.  O primeiro colocado foi Marquinhos Trad com 147.694 votos ou 34,57 % do total.

Para Bernal, seu desempenho não foi melhor em função de pesquisas de intenção de votos que noticiavam “números mentirosos” e que desestimularam eleitores a comparecerem às urnas. “Além disso, nós optamos por administrar Campo Grande que estava mergulhada no caos e começamos a campanha mais tarde, o que prejudicou”, avalia.

O progressista reclamou ainda da grande quantidade de inserções em televisão de Marquinhos e Rose, no sábado, 1 de outubro, véspera das eleições, o que, para ele, teria desequilibrado a disputa. O PP está questionando a situação na Justiça Eleitoral.

Na chefia do Poder Executivo até 31 de dezembro de 2016, Bernal afirma que fará uma gestão responsável até o último minuto como prefeito. Ele pretende deixar a folha de pagamento em dia e, inclusive, depositar o 13º salário dos servidores antes de transferir o cargo. Também haverá dinheiro em caixa para obras públicas. “A cidade vai ser entregue ao próximo prefeito como deve ser, respeitando a moralidade e a transparência”, garante.

Eleições 2018 – Bernal vai mesmo concorrer nas eleições de 2018. “O cargo ainda não sei. Posso ser  candidato a governador, a senador, precisamos eleger deputado federal, deputado estadual”, mencionou. Ele rechaça especulações de que poderá negociar com os dois candidatos à prefeitura apoio ao seu projeto de 2018. “Não posso te dizer que vou me decidir em função disso, mesmo porque é muito cedo para isso.”

A votação do segundo turno das eleições para a prefeitura será no dia 30, último domingo de outubro.

Veja Também
STF dá 10 dias para Temer e deputados explicarem reforma
Foro privilegiado é incompatível com o princípio republicano, diz ministro
MPF pede suspensão de benefícios de delação a ex-diretor da Petrobras
Wilson Sami toma posse na Câmara na vaga deixada por Paulo Siufi
Sexta, 17 de Fevereiro de 2017 - 08h51Escolhido por Trump recusa cargo de conselheiro de segurança Em comunicado, Harward explicou que rejeitou o cargo por "exigir 24 horas de trabalho, sete dias por semana"
Delcídio diz à Justiça que CPMI do Cachoeira foi esvaziada a pedido do governo
Reforma que enxuga governo está pronta para votação
Delcídio tem audiência na Justiça Federal remarcada para hoje
Deputado reclama de superlotação nas escolas; secretaria nega
Quinta, 16 de Fevereiro de 2017 - 12h39Vereadores criam Controladoria da Câmara Projeto foi apresentado pela nova mesa diretora do Legisdlativo Municipal
Ótica Diniz
Vídeos
Diário Digital no Facebook
DothShop
Rec banner - cirurgia.net
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento