Menu
15 de outubro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Justiça

Alexandre de Moraes defende inquérito sobre fake news

Para ministro, fala de Janot incitou ataque a juíza em São Paulo

6 Out2019Agência Brasil17h17

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, defendeu hoje (4) o inquérito sobre fake news e as buscas que autorizou na casa do ex-procurador-geral da Repúblia Rodrigo Janot. Ao participar de um evento em São Paulo na Universidade Presbiteriana Mackenzie, o ministro relacionou a agressão de um procurador contra uma juíza, ocorrida na semana passada no Tribunal Regional Federal (TRF-3), em São Paulo, a declarações de Janot, divulgadas na semana passada, de que ele foi armado ao STF para matar o também ministro do Supremo Gilmar Mendes.

“O que ocorreu em relação a esse episódio [do ex-PGR] é uma agressão de incitação ao crime. Em nenhum momento a investigação, como foi colocada, é de tentativa de homicídio porque nem se iniciou a execução, mas incitação. Incitação essa que menos de uma semana depois ficou comprovada com ato absurdo que ocorreu ontem aqui em São Paulo na Justiça Federal, demonstrando a necessidade de se investigar qualquer incitação a crime contra ministros do Supremo Tribunal Federal”, disse Moraes.

Questionado sobre críticas à busca que autorizou na casa de Janot, dentro do inquérito sobre fake News do STF, ele reafirmou a necessidade da investigação. “O mais importante me parece que os fatos demonstram a necessidade do inquérito. O que foi dito na decisão, e a decisão talvez tenha sido mal compreendida ou as pessoas não leem e criticam, a investigação dentro do inquérito é contra agressões e ofensas a ministros do Supremo Tribunal Federal”, disse.

Moraes disse ainda que é preciso parar de “insuflar” a violência contra aqueles que tenham posições contrárias. “Nós temos que, no Brasil, voltar a respeitar o diálogo, a respeitar o contraditório, a respeitar posições sejam políticas, ideológicas, religiosas. Porque nós chegamos ao tal grau de falta de bom senso que há pessoas que acham realmente que, para se combater a corrupção, você tem que matar quem não concorda com seus métodos de combate”.

Veja Também

Senado entra em semana decisiva para a reforma da Previdência
Plenário poderá votar ampliação do porte e posse de armas
Bolsonaro destaca ações do governo em outubro
Dia das Crianças: Projetos de lei em MS visam garantir direitos fundamentais
MS deve receber mais R$ 70 milhões da partilha dos leilões
Bancada federal de MS definirá na próxima semana as emendas para 2020
PEC  profunda, mas não profana, diz Simone Tebet sobre Previdência
Câmara aprova cobrança gradual de ISS de empresas de ônibus
8ª Zona Eleitoral altera locais de votação para Eleições 2020
Assembleia disciplina uso de cotas para deputados estaduais