Menu
26 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner ALMS - AUDIÊNCIA PÚBLICA
Operação Cabrera

Três são presos na Capital em operação contra pedofilia

Operação acontece em todo o Brasil, no Dia Nacional de Combate ao Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes

18 Mai2017Dayene Paz11h59

Três homens foram presos na manhã desta quinta-feira, 18, acusados de armazenar arquivos com pornografia infantil. Os investigados foram detidos em casa em cumprimento a mandados de prisão e de busca e apreensão. A operação acontece em todo o Brasil, no Dia Nacional de Combate ao Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes.

De acordo com o delegado de Polícia Federal, Marcelo Alexandrino, foram cumpridos 10 mandados na Capital do Estado, com três prisões, de um advogado, um estudante de direito e um comerciante. “Em todos os locais de busca foram encontrados arquivos de sexo entre crianças e adolescentes, muitos com crianças menores de 12 anos”, afirmou o delegado. Há, inclusive, armazenamento de vídeos envolvendo bebês.

As prisões aconteceram no bairro Chácara Cachoeira, Vila Carvalho e Guanandi.  Os presos foram autuados em flagrante pelo armazenamento. A PF ainda investiga se eles apenas armazenavam esses arquivos, ou fazem parte de algum grupo de exploração sexual infantil. “São milhares de foto e vídeos, então serão encaminhados para a perícia para uma análise mais minuciosa”, explica Marcelo.

Um dos investigados é um professor, que ministra aula para crianças e adolescentes. Ele não foi localizado em sua residência. “Vamos pedir a prisão preventiva dele”, afirmou a PF. “Lembrando que quem pratica a pedofilia não tem um perfil, pode ser qualquer um, qualquer classe, profissão, qualquer gênero“, enfatiza. 

A investigação já ocorre há três meses, com ajuda de uma rede de inteligência americana, que consegue monitorar em tempo real a circulação de imagens e vídeos que envolvam sexo, nudez, ou pornografia infantil, que estão inclusos no banco mundial de pedofilia. “Mas isso não invalida a denúncia, a sociedade deve e pode nos repassar informação”, destaca o delegado Cleo Mazzotti.

Veja Também