Campo Grande •23 de Junho de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Agência Brasil | Domingo, 8 de Janeiro de 2017 - 17h59Três corpos são encontrados próximos a presídio de ManausCorpos estavam em estado de decomposição

Três corpos foram encontrados na manhã deste domingo (8), em uma mata próxima ao Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em avançado estado de decomposição. Segundo informações da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Amazonas, equipes da Polícia Civil, Instituto de Criminalística e Instituto Médico Legal foram deslocadas para o local para fazer a retirada dos corpos.

Entre os dias 1° e 2 de janeiro, o Compaj foi palco de uma chacina que deixou ao menos 56 detentos mortos após confrontos entre facções rivais. No episódio, cerca de 180 presos fugiram da unidade. Ainda não há informações se os corpos encontrados hoje têm ligação com os eventos do início da semana.

Na manhã de hoje também foi confirmada a morte de pelo menos quatro pessoas na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no centro de Manaus. Dos quatro mortos, três foram decapitados e um morreu por asfixia. Segundo o Comitê de Gerenciamento de Crise, o motivo da rebelião ainda é desconhecido. O local estava desativadoa desde outubro de 2016 por falta de estrutura, mas após a rebelião ocorrida no Compaj voltou a funcionar para abrigar parte dos presos que estavam no complexo e sofriam ameaças de outros detentos.

 Com isso, número de mortos, decorrentes de rebeliões no Amazonas, chega a 67. Desde o início deste mês, o estado tem enfrentado problemas com rebeliões no sistema prisional.

De acordo com o secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fonte, a chacina no Compaj foi resultado da rivalidade entre duas organizações criminosas que disputam o controle de atividades ilícitas na região amazônica: a Família do Norte (FDN) e o Primeiro Comando da Capital (PCC). Aliada ao Comando Vermelho (CV), do Rio de Janeiro, a FDN domina o tráfico de drogas e o interior das unidades prisionais do Amazonas.

Na ocasião, foram confirmadas 60 mortes. Desde o segundo semestre de 2015, líderes da facção criminosa amazonense vêm sendo apontados como os principais suspeitos pela morte de integrantes do PCC, grupo que surgiu em São Paulo, mas já está presente em quase todas as unidades da federação.

Veja Também
Polícia procura internos evadidos da Gameleira
TJ nega habeas corpus e PRF será julgado na Justiça Estadual
Mulher é assaltada no Jardim Anache
Rapaz vai tomar tereré e leva um soco no nariz do irmão do patrão
Polícia prende cinco pessoas com maconha e crack em Paranaíba
Para Polícia, morte de Gaeta foi homicídio culposo
Trio que espancou rapaz com pedradas até a morte, afirma que agiu por legitima defesa
Blitz termina com onze motos apreendidas
Quinta, 22 de Junho de 2017 - 09h13Ladrão arromba porta e leva carne, chicletes e TV de comércio Vítima chegou para trabalhar e encontrou a porta do estabelecimento estourada
Mais uma pessoa é roubada em frente de casa
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento