Menu
20 de junho de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Confusão generalizada

Show da Banda Luxúria termina em confusão generalizada

Administradora admite momentos de terror em boate

27 Mar2015Danielle Valentim, especial para o DD10h00
(Foto: Divulgação)
  • Além dos estragos no interior da casa, houve muito prejuízo com número de pessoas que saíram sem pagar a conta
  • (Foto: Divulgação)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)

A briga que tomou proporções gigantescas, na boate Woods na madrugada desta sexta-feira (27), deixou muitas pessoas feridas e muito prejuízo para o estabelecimento. A briga que teria começado na parte debaixo da casa noturna, também envolveu os camarotes e resultou na paralisação do show da banda Luxúria. O Diário Digital conversou com uma administradora que estava na boate, que relatou os momentos de terror, durante a guerra de garrafas, mesas e baldes de gelo. O advogado da casa de show também se posicionou a respeito do fato.

A banda entrou nos palco por volta das 2h da manhã, e a primeira confusão na pista, começou quando a apresentação da banda chegava ao fim, por volta das 3h30.  Segundo a administradora Juliane Costa, dois rapazes começaram a brigar na pista, e mesmo após os seguranças da casa apartarem a briga, alguns participantes do camarote, começaram a jogar copos e gelo, na pista, dessa forma quem estava embaixo começou a revidar.

“Até a gerente Anailu entrou no meio, pediu para que parassem de jogar os objetos, mas ninguém obedeceu. E só foi aumentando, começaram a jogaram garrafas de cerveja, baldes de gelo e copos. Para me proteger, fui em direção ao banheiro, engatinhando, cheguei a cortar meu joelho com os estilhaços de vidro, foi horrível”, relata a administradora.

Juliane conta, que minutos depois, a gerência perdeu o controle das pessoas que estavam dentro da casa de shows e abriu as portas para que todos saíssem. Ainda segundo a administradora, a polícia só chegou ao local, meia hora após a confusão. “Muita gente saiu sem pagar, inclusive eu e meus amigos. Quando vimos que a porta estava aberta e depois que a situação estava mais calma, vimos alguns jovens detidos”.

Superlotação - A casa de show Wood's Campo Grande segue a mesma estrutura das demais franquias espalhadas pelo Brasil e tem a capacidade para 1,2 mil pessoas. Segundo administradora, a casa estava lotada e que pode ter facilitado a grande confusão.

Limpeza - Na manhã desta sexta-feira (27), a equipe da limpeza, retirava os estilhaços das garrafas quebradas durante o quebra-quebra.  

Woods - Em contato com o advogado da Wood’s Leonardo Buchmann, ele admitiu, o prejuízo com a depredação da casa. Ele também confirmou ao DD, que  a briga começou na pista por motivos ainda não identificados e mesmo com a intervenção dos seguranças, a confusão tomou grandes proporções e a Polícia Militar precisou ser acionada.

Ainda segundo o advogado, imediatamente as portas foram abertas, para evacuação do local e com a medida, além dos estragos no interior da casa, houve muito prejuízo com número de pessoas que saíram sem pagar a conta. Como ninguém desmaiou, não houve atendimento imediato, cada um procurou assistência por conta própria. A Woods não abrirá na noite desta sexta-feira (27), e volta as atividades normais neste sábado (28).

Polícia Militar - De acordo com a assessoria da Polícia Militar, o relatório da ocorrência é aguardado para confirmação das reais causas da confusão.

 

Veja Também