Menu
26 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner ALMS - AUDIÊNCIA PÚBLICA
Dourados

Recém-nascido é encontrado morto em aldeia

Suspeita é que a mãe tenha abortado de forma premeditada

6 Out2016Da redação10h38

 Um recém-nascido foi encontrado morto na manhã de hoje (6) por lideranças indígenas da Aldeia Bororó, em Dourados. A suspeita é que a mãe, uma jovem, teria abortado o feto de forma premeditada, apesar dela alegar que o fato ocorreu de maneira espontânea.

De acordo com o apurado no local pelo Dourados News, o bebê estava na sala da residência e o que leva a desconfiança é o fato das roupas e a motocicleta da mulher estarem manchados de sangue.

Lideranças indígenas também acreditam que ela enterraria o recém-nascido sem que as pessoas soubessem, já que ele estava enrolado em um lençol.

Ainda segundo apurado na região, o que eleva a suspeita da premeditação do caso é o fato dela esconder a gravidez da família.

Conforme o pai da jovem, ele e a esposa não sabiam que a menina estava gestante. "Nós perguntávamos a ela, mas sempre nos escondeu, nos tratava com grosseria e em alguns casos chegou a ameaçar a mãe com uma faca", disse.

O Conselho Tutelar foi acionado e está no local acompanhando os fatos. Os indígenas aguardam a perícia da Polícia Civil para a liberação do corpo e saber realmente o que ocorreu.

A mulher foi encaminhada ao Hospital Universitário onde está internada. O caso será investigado pela polícia.

No Brasil, aborto é considerado crime e pode resultar, caso seja confirmado que a gestante consentiu, de um a três anos de prisão. Se houve ajuda de terceiros para provocar o fato, o responsável também será julgado e se condenado, cumprir pena de três a dez anos em regime fechado.

Veja Também