Campo Grande •24 de Fevereiro de 2018  • Ano 7
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner governo do estado - IPVA

Dayene Paz | Quarta, 15 de Novembro de 2017 - 10h01Puccinelli e filho passam a noite em presídioDe acordo com informações, eles dividem a cela com outros 20 presos com nível superior

Puccinelli e o filho André Puccinelli Junior ao chegarem ao Centro de Triagem, no Jardim Noroeste, onde estão presos
Puccinelli e o filho André Puccinelli Junior ao chegarem ao Centro de Triagem, no Jardim Noroeste, onde estão presos (Foto: Marco Miatelo)

Com as prisões mantidas, o ex-governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli e o filho, André Puccinelli Junior, passaram a noite na cela 17 do Centro de Triagem, localizado no Jardim Noroeste, em Campo Grande. De acordo com informações, eles dividem a cela com outros 20 presos com nível superior. Cela que inclusive já abrigou outros presos políticos. Eles estão presos em decorrência da Operação Papiros de Lama, quinta fase da Lama Asfáltica, da Polícia Federal.

Puccinelli e o filho estão presos preventivamente, ou seja, sem data para serem liberados. Já Jodascil Gonçalves Lopes e João Paulo Calves tiveram mantidas as prisões temporárias, válidas por cinco dias. A confirmação das prisões foi feita pelo juiz Ney Gustavo Paes de Andrade, durante audiência de custódia. João Paulo e Jodascil foram encaminhados para o Presídio Militar.

A cela tem 12x4 de comprimento. A capacidade do Centro Triagem é para 86 presos, mas abriga atualmente  240 detentos. Puccinelli Junior abriu mão da prerrogativa especial para advogados para ficar junto ao pai no Centro de Triagem. 

Papiros de Lama - A Operação Papiros de Lama investiga esquema de corrupção na gestão de Puccinelli. Segundo a Polícia Federal, os presos compõem organização criminosa que teria lesado os cofres públicos em no mínimo R$ 235 milhões. A operação se baseou na delegação premiada do empresário e pecuarista Ivanildo Cunha Miranda que revelou detalhes do esquema. 

O delator afirmou ter entregado vários pagamentos a título de subornos ao então governador do Estado. Ele recolhia o dinheiro junto a frigoríficos e levava diretamente a Puccinelli. Os valores seriam referentes a propinas pagas em troca de incentivos fiscais. A delação não implicou outros membros da gestão Puccinelli, mas apenas o próprio governador. 

Segundo a PF, Puccinelli era o “principal beneficiário e garantidor do esquema que tinha operadores, com funções definidas, várias empresas envolvidas no recebimento de vantagens e no pagamento de propinas”. 

Ainda de acordo com a PF, nesta quinta fase, há também o envolvimento da Águas Guariroba e a empresa Proteco, de João Amorim, que foi conduzido coercitivamente para prestar depoimentos na operação desta terça-feira. O advogado de Puccinelli e Júnior, Renê Siufi, informou que tentará um habeas corpus.

Veja Também
Caminhão tomba na MS-112 e deixa motorista ferido
Homem diz ter sofrido sequestro em boate na Capital
Caçador preso com cateto e três seriemas
Homem é morto ao reagir a assalto
Sexta, 23 de Fevereiro de 2018 - 08h30Homem é morto quando bebia em frente de casa Um dos autores do ataque foi preso e outros dois estão foragidos
Rapaz é assassinado no Jardim Itamaracá
Contrabandista é preso em estacionamento de shopping
Três pessoas são presas com 20 tabletes de cocaína em tanque de combustível
Quadrilha especializada em roubo de carretas é desarticulada
Colisão entre caminhão e carro deixa um morto na MS-276
Square notícias UCI 2018
Vídeos
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2018 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento