Menu
16 de outubro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Homicídio

Presa suspeita de morte de jovem em suposto "tribunal do crime"

Vítima foi sequestrada por 4 pessoas em Três Lagoas e morta com pelo meno 40 facadas

9 Out2019Da redação11h30

Suspeita de estar envolvida no sequestro e assassinato de uma jovem em Três Lagoas foi presa na cidade de Araçatuba (SP).  A vítima é Érica Rodrigues Ribeiro (29). A acusada estava na casa de um irmão e tentou se passar pela cunhada quando foi abordada pela polícia. O corpo de Érica foi encontrado na manhã do dia 3 de setembro no local conhecido como "Cascalheira", com diversas marcas de faca e as investigações apontam para um possível "Tribunal do Crime".

A prisão aconteceu após o trabalho dos investigadores de Três Lagoas que descobriram o possível paradeiro de A. A. Q. H., vulgo Maju PCC, na cidade do interior paulista e compartilhamento de informações com os policiais daquele município.

Com a acusada foram apreendidos um aparelho celular e R$ 300,00 em dinheiro. Na casa do irmão ainda foram encontrados 73 pinos de cocaína e 19 pinos vazios. O irmão não foi localizado. Também foi apreendida na residência uma caderneta com anotações referente ao PCC.

Ela disse aos policiais ser "batizada" na facção como "Viúva Negra". Além de cumprido o mandado de prisão contra ela, a mulher deverá responder por tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas.

Entenda o Caso -  Érica foi sequestrada e assassinada no último dia 03 de setembro. A Polícia Civil foi acionada sobre um cadáver encontrado na região conhecida como "cascalheira", às margens do rio Sucuriú. Conforme familiares, na noite anterior ao crime, quatro pessoas, sendo dois homens e duas mulheres, ambos desconhecidos, estiveram em sua residência, utilizando um veículo, agarraram a vítima e a sequestraram.

Durante as investigações, foi descoberto que o corpo da vítima havia sido golpeado ao menos 40 vezes. Segundo o delegado responsável pelo Setor de Investigações Gerais (SIG) Ailton Pereira, a vítima estava cumprindo pena em regime domiciliar e foi levada a força de casa por volta das 20h. A mulher ainda teria ligado para a mãe um tempo depois, dizendo que estava tudo bem e que logo voltaria para casa.

Com Maju PCC, seis pessoas foram presas acusadas de estarem envolvidas com o crime. A polícia segue as investigações para desvendar a motivação do crime, mas trabalha com a hipótese de um "Tribunal do Crime".

 

 (Com informações: Rádio Caçula)

Veja Também