Menu
26 de agosto de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Interior

Policial que matou em cinema após briga por cadeira está em liberdade

Cabo da PM assassinou bioquímico a tiro em sessão cheia de crianças em Dourados

14 Ago2019Da redação, com TV MS Record16h22

O cabo da Polícia Militar Djavan Batista dos Santos, de 37 anos, que matou uma pessoa dentro de uma sala de cinema em Dourados, município a 230 quilômetros de Campo Grande (MS), já está em liberdade. Ele foi beneficiado por um habeas corpus concedido pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) na semana passada.

O policial estava preso desde o dia 8 de julho, quando assassinou a tiro o bioquímico Julio Cesar Cerveira Filho, de 43 anos,  após uma discussão na sala de cinema. Agora que obteve o habeas corpus, o policial deverá trabalhar no serviço no administrativo da Polícia Militar Ambiental (PMA) de Dourados, onde estava lotado, enquanto aguarda o julgamento em liberdade. 

Djavan Batista responde por homicídio duplamente qualificado. O Ministério Público quer que o réu seja levado a júri popular -- decisão que caberá à Justiça -- e que pague indenização aos filhos da vítima.

No dia do crime, o policial e o bioquímico tinham levado os filhos para assistirem a um filme infantil. Eles discutiram por causa dos lugares para sentar. A sessão estava cheia de crianças, algumas, inclusive, vindas em excursão de cidades vizinhas. 

A arma usada pelo policial não era da PM e não tinha registro.  Desde o flagrante, Djavan Batista alega legítima defesa. Ele afirma que foi agredido pelo bioquímico antes de disparar. O tiro atingiu o pescoço da vítima que morreu no local.

Veja Também