Menu
20 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Morte a esclarecer

Polícia procura testemunha da morte de médico

Vítima foi encontrada caída em uma sala de casa de massagem, na Capital

12 Mar2018Mariel Coelho, em especial para o Diário Digital.18h00

A Polícia Civil iniciou as investigações para esclarecer quais as circunstâncias que levaram a morte do cardiologista e ex-diretor do Hospital Universitário de Campo Grande, José Carlos Dorsa Vieira Pontes, de 51 anos, encontrado morto na noite de domingo (11) em uma casa de massagem e sauna, na Rua Boa Vista.

Uma das medidas iniciais é tentar localizar a primeira pessoa que encontrou o médico sem vida dentro da casa de massagem, para tomar o depoimento dele. O rapaz que estava no estabelecimento foi até a quarto onde Dorsa estava após ouvir um barulho. Ao entrar, encontrou a vítima caída no chão.

De acordo com o boletim de ocorrência, o médico foi encontrado no segundo andar do estabelecimento de bruços, já sem vida. Testemunhas que estavam no local relataram que a família de Dorsa foi acionada antes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Ainda conforme relatos das testemunhas uma pessoa que estaria em outro cômodo, teria sido a primeira a ter contato com a vítima, mas que ele deixou o local antes da chegada da polícia. O médico apresentava uma lesão no supercílio e no rosto compatíveis com a queda  e a convulsão. Além de ter uma “punsão” no braço, que provavelmente seria da aplicação algum medicamento.

De acordo com a delegada Daniela Kades, da 1ª Delegacia do Centro, que está à frente das investigações, a polícia deu inicio as investigações na tarde desta segunda-feira (12) “Começamos as investigações, e agora vamos apurar quais foram às causas da morte da vítima”. Ainda de acordo com a delegada José Carlos Dorsa estaria sozinho no quarto.

Veja Também