Campo Grande •24 de Setembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Super banner Governo MS - Semana nacional do trânsito

Agência Brasil | Sexta, 10 de Março de 2017 - 16h25Polícia Federal apura desvios de recursos da merenda em AlagoasPrejuízos superam os R$ 12 milhões

(Foto: Reprodução/Internet)

A Polícia Federal, em parceria com o Ministério Público Federal e o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria Geral da União (CGU), deflagrou nesta sexta-feira (10), em Alagoas, a Operação Brotherhood 2. O objetivo é apurar novas irregularidades no fornecimento de gêneros alimentícios destinados à merenda escolar em municípios do estado de Alagoas. São investigados cerca de R$ 20 milhões em aquisições de prefeituras.

De acordo com a CGU, a investigação começou a partir da análise dos documentos apreendidos na primeira fase da Operação Brotherhood, que desarticulou uma organização criminosa responsável por fraudes em licitações com prejuízo superior a R$ 12 milhões. A segunda fase da operação constatou indícios de outras irregularidades praticadas pelo mesmo grupo nos municípios alagoanos de Atalaia, Canapi, Igreja Nova, Joaquim Gomes, Limoeiro do Anadia e São Luiz do Quitunde.

“Com o aprofundamento das investigações, foram revelados os demais participantes do esquema, além de detalhes sobre modo de atuação. A organização criminosa utilizava diversas empresas para atribuir aspecto de legalidade aos processos licitatórios das prefeituras. A participação ocorria por meio de procurador, geralmente um empregado vinculado a alguma das empresas integrantes do grupo”, informou o órgão.

A Operação Brotherhood 2 conta com a participação de nove auditores da CGU e 88 policiais federais. Estão sendo cumpridos 14 mandados de condução coercitiva e 22 mandados de busca e apreensão. As ações estão sendo realizadas na capital Maceió e nos municípios de Ibateguara, Rio Largo, Paripueira, São Luiz do Quitunde, Limoeiro do Anadia, Igreja Nova, Joaquim Gomes, Atalaia, Pindoba, Traipu, e São Miguel dos Campos, além dos municípios de Quipapá e Paulista, em Pernambuco.

A Primeira fase da operação Brotherhood, foi deflagrada no ano passado, e teve origem através de denúncias à prefeitura de Traipu, parte delas formalizadas por agentes públicos do próprio município. Durante a apuração, foi considerado o histórico de irregularidades já praticadas por gestores anteriores, que havia resultado na Operação Tabanga, deflagrada em 2009. A investigação constatou fraudes semelhantes em outros municípios da região.

Entre as falhas, a CGU identificou direcionamento de processos licitatórios, sobrepreço, superfaturamento, conluio entre as empresas participantes dos certames, constituições de empresas de fachadas, utilização de sócio oculto e omissões por parte das prefeituras quando do recebimento das mercadorias destinadas à merenda escolar.

Veja Também
SINAPF diz que agente atirou em legitima defesa
Agentes Penitenciários cruzam os braços por melhores condições de trabalho
Jovem morre depois de ser baleado em camarote
Soldado morre depois de leva tiro na Base Aérea
Idoso invade pista contrária e morre em colisão na BR-163
Rapaz é morto a golpes de facão em Corumbá
Pescador profissional é autuado com 84 kg de pescado ilegal
Jovem é executado com quatro tiros em Dourados
Polícia fecha ‘Disque-droga’ em Itaporã
Acusado de matar guarda municipal em Corumbá é solto
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento