Menu
18 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Meio Ambiente

PMA desmonta acampamento e prende paulistas pescando em cachoeira

Durante a piracema, a PMA instala posto com policiais 24 horas nesta cachoeira

8 Out2016Da redação10h30

Em trabalho de fiscalização no rio Anhanduí, no município de Nova Alvorada do Sul, durante a operação Pré-piracema, Policiais Militares Ambientais de Bataguassu, prenderam há pouco às 15h00 (7), quatro pescadores por pesca predatória.

Os infratores, um de 26 anos, residente em Catanduva (SP), um de 50 anos, residente em São Paulo (SP), um de 53 anos, residente em Santa Ernestina (SP) e outro de 58 anos, residente em Itajubi (SP) estavam acampados às margens do rio Anhanduí e pescavam em uma embarcação em uma cachoeira, que se trata de local proibido para a pesca, em qualquer período. Durante a piracema, a PMA instala um posto com policiais 24 horas nesta cachoeira.

As corredeiras e cachoeiras são locais interditados para a pesca, em 200 metros a montante e a jusante. Os pescadores afirmaram não saber que não se podia pescar em cachoeira. Eles tinham capturado dois peixes da espécie piau, pois acabavam de acampar no local, onde haviam montado uma barraca de lona, onde se encontravam dois veículos Toyota Hillux, pertencentes aos infratores.

Os peixes estavam vivos no viveiro do barco e foram soltos no rio. Também havia diversos peixes vivos da espécie pirambóia que são utilizados como iscas, que também foram soltos no rio. Foram apreendidas cinco carretilhas com varas, um motor de popa, um barco e vários anzóis e galho. Cada infrator foi autuado administrativamente e multado em R$ 1.700,00.

Todos receberam voz de prisão e foram conduzidos à delegacia de Polícia Civil de Nova Alvorada do Sul, onde estão sendo autuados em flagrante por crime ambiental de pesca predatória. Poderão sair ao pagar fiança. A pena para o crime é de um a três anos de detenção.

Veja Também