Menu
28 de janeiro de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Interior

PMA autua homens por pesca durante período de piracema

Os pescadores foram flagrados no rio Miranda e tentaram fugir da polícia

5 Dez2019Da Redação13h47

A Polícia Militar Ambiental (PMA) prendeu três homens por pesca predatória, na tarde de quarta-feira (4), no rio Miranda, na região da Ponte Nova, que liga a cidade de Jardim a Guia Lopes da Laguna. Eles foram autuados em R$2,2 mil por pescarem com um método proibido, conhecido como lambada,  e durante o período de piracema.

Os pescadores iniciavam a pescaria ilegal quando foram flagrados pelos policiais que trabalham na Operação Piracema. O trio ainda teria tentado fugir, um se jogando na água e os outros correndo, mas foram detidos. Com eles, foi apreendido um peixe da espécie pacu, pesando 2 kg, junto com as garateias e as linhadas utilizadas na pescaria.

Os infratores, de 28, 23 e 34, são de Jardim e um de Campo Grande, e receberam voz de prisão. Eles foram conduzidos a Delegacia de Polícia Civil de Guia Lopes da Laguna e responderão por crime ambiental de pesca predatória. A pena para este crime é de um a três anos de detenção. Eles também foram autuados e multados administrativamente em R$ 720,00 cada um, perfazendo um total de R$ 2.160,00.

MÉTODO DE PESCA “LAMBADA”: Segundo o tenente coronel da PMA, Ednilson Queiroz, a pesca com o petrecho garateia não é proibida, mas sim o método denominado lambada. “Esta forma de pesca é executada normalmente com garateias e chumbadas pesadas. Uma ou várias garateias na mesma linha são lançadas ao meio do cardume. O peixe é fisgado e arrastado para à superfície pelas mais diversas partes do corpo. A proibição do método se dá justamente, em razão de, muitas vezes, os anzóis causarem ferimentos e não haver a captura, com a possibilidade, inclusive, de ferir peixes que não deveriam ser capturados (espécies protegidas, ou em tamanho inferior ao permitido)”.

 

Veja Também