Menu
20 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner Governo - Maio amerelo
Crime ambiental

PMA autua empresa em R$ 72 mil por voçoroca de 15 metros de profundidade em propriedade rural

Os responsáveis responderão por crime ambiental, que tem pena prevista de uma a três anos

30 Set2016Da redação11h05

Em atendimento à denúncia, Policiais Militares Ambientais de Naviraí fiscalizaram ontem (29) à tarde, uma propriedade rural no município de Iguatemi e constataram a existência de uma voçoroca que atingira área de preservação permanente (APP ), área protegida de reserva legal e área agrícola. A erosão possuía em média, 100 metros de comprimento, 32 metros de largura e 15 metros de profundidade. A degradação provocou o assoreamento de um córrego que corta a propriedade. Os processos erosivos surgiram devido à remoção da vegetação sem ações de conservação do solo, que é obrigatória pela legislação nas intervenções feitas para a produção em propriedades rurais.

A empresa infratora, com domicílio jurídico em Naviraí, foi autuada administrativamente e multada em um total de R$ 72.020,00. Os responsáveis responderão por crime ambiental, que tem pena prevista de uma a três anos.

A PMA determinou a interdição da área,  para proteção e recuperação, com proibição de atividades agrícolas e pecuárias. O proprietário também foi notificado a apresentar projeto de recuperação de área degradada (PRADE) junto aos órgãos ambientais.

Em atendimento à denúncia, Policiais Militares Ambientais de Naviraí fiscalizaram ontem (29) à tarde, uma propriedade rural no município de Iguatemi e constataram a existência de uma voçoroca que atingira área de preservação permanente (APP ), área protegida de reserva legal e área agrícola. A erosão possuía em média, 100 metros de comprimento, 32 metros de largura e 15 metros de profundidade. A degradação provocou o assoreamento de um córrego que corta a propriedade. Os processos erosivos surgiram devido à remoção da vegetação sem ações de conservação do solo, que é obrigatória pela legislação nas intervenções feitas para a produção em propriedades rurais.

A empresa infratora, com domicílio jurídico em Naviraí, foi autuada administrativamente e multada em um total de R$ 72.020,

Em atendimento à denúncia, Policiais Militares Ambientais de Naviraí fiscalizaram ontem (29) à tarde, uma propriedade rural no município de Iguatemi e constataram a existência de uma voçoroca que atingira área de preservação permanente (APP ), área protegida de reserva legal e área agrícola. A erosão possuía em média, 100 metros de comprimento, 32 metros de largura e 15 metros de profundidade. A degradação provocou o assoreamento de um córrego que corta a propriedade. Os processos erosivos surgiram devido à remoção da vegetação sem ações de conservação do solo, que é obrigatória pela legislação nas intervenções feitas para a produção em propriedades rurais.

A empresa infratora, com domicílio jurídico em Naviraí, foi autuada administrativamente e multada em um total de R$ 72.020,00. Os responsáveis responderão por crime ambiental, que tem pena prevista de uma a três anos.

A PMA determinou a interdição da área,  para proteção e recuperação, com proibição de atividades agrícolas e pecuárias. O proprietário também foi notificado a apresentar projeto de recuperação de área degradada (PRADE) junto aos órgãos ambientais.Os responsáveis responderão por crime ambiental, que tem pena prevista de uma a três anos.

A PMA determinou a interdição da área,  para proteção e recuperação, com proibição de atividades agrícolas e pecuárias. O proprietário também foi notificado a apresentar projeto de recuperação de área degradada (PRADE) junto aos órgãos ambientais.

Veja Também