Campo Grande •24 de Setembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner Governo -  MS Desenvolve

Valdelice Bonifácio | Terça, 29 de Agosto de 2017 - 19h39Governador manda PGE e CGE acompanharem AntivírusGovernador Reinaldo Azambuja manifestou apoio às investigações do Gaeco

  
Parte dos presos na Operação Antivírus foi levada nesta terça-feira para o Centro de Triagem, no Complexo Penal do Jardim Noroeste (Foto: Rodrigo Silva/TV MS Record)
  • Parte dos presos na Operação Antivírus foi levada nesta terça-feira para o Centro de Triagem, no Complexo Penal do Jardim Noroeste
  • (Foto: Rodrigo Silva/TV MS Record)
  • (Foto: Rodrigo Silva/TV MS Record)
  • (Foto: Rodrigo Silva/TV MS Record)
  • (Foto: Rodrigo Silva/TV MS Record)

A Procuradoria Geral do Estado (PGEMS) e à Controladoria Geral do Estado (CGEMS) farão rigoroso acompanhamento da Operação Antivirus, deflagrada nesta terça-feira, 29 de agosto, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e que teve o Detran-MS como alvo principal. A determinação é do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB).

Conforme a assessoria de imprensa, o governador recebeu as primeiras informações sobre o caso ainda em São Paulo, onde cumpre agenda oficial desde a quinta-feira. O governador manifestou apoio às investigações  e aguarda esclarecimentos dos órgãos de controle para definir as medidas legais cabíveis no âmbito da Administração Pública.

Não foi informado como ficará o comando do Detran-MS, já que o diretor-presidente Gerson Claro e outros diretores foram presos na operação. Porém, é aguardado que no retorno da viagem, o governador já anuncie nomes para ocupar os cargos vagos.

Presos - Além de Gerson Claro, também foram presos na Operação o diretor-adjunto do Detran-MS Donizete Aparecido da Silva, o chefe de departamento Erico Mendonça, o Diretor de Administração e Finanças  Celso Braz de Oliveira Santos e o Diretor de Tecnologia Gerson Tomi. A prisão deles é preventiva, ou seja, não têm data para terminar.

Também foram presos suspeitos de envolvimento do esquema criminoso que teria fraudado licitações o ex-deputado estadual Ary Rigo, Jonas Schimidt das Neves, sócio da empresa DIGITHOBRASIL e seu secretário Claudinei Mastins Rômulo; José do Patrocínio Filho, Fernando Roger Daga e Anderson da Silva Campos, sócios e ex-sócio da empresa Pirâmide Informática; Luiz Alberto de Oliveira Azevedo, servidor público estadual lotado na Secretaria de Governo do Estado de Mato Grosso do Sul.

Crimes - Segundo as investigações, os presos faziam parte de organização criminosa voltada à prática dos crimes de corrupção ativa e passiva, fraude em licitação, peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro. As investigações começaram em 2015 e tem como objeto contratos celebrados entre empresas da área de tecnologia da informação/informática e o Poder Público Estadual.

Veja Também
Agentes Penitenciários cruzam os braços por melhores condições de trabalho
Jovem morre depois de ser baleado em camarote
Soldado morre depois de leva tiro na Base Aérea
Idoso invade pista contrária e morre em colisão na BR-163
Rapaz é morto a golpes de facão em Corumbá
Pescador profissional é autuado com 84 kg de pescado ilegal
Jovem é executado com quatro tiros em Dourados
Polícia fecha ‘Disque-droga’ em Itaporã
Acusado de matar guarda municipal em Corumbá é solto
Indígena é ameaçado de morte pela família da ex-mulher
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento