Campo Grande •29 de Março de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Da Agência Brasil | Terça, 4 de Outubro de 2016 - 11h00PF investiga grupo que fraudava contratos no Ministério das CidadesEm outra direção a PF pretende investigar a ocorrência de fraudes em licitações e contratos no Ministério das Cidades

Operação Hidra de Lerna deriva de três colaborações de investigados na Acrônimo
Operação Hidra de Lerna deriva de três colaborações de investigados na Acrônimo (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Uma operação da Polícia Federal (PF), deflagrada na manhã desta terça-feira (4), investiga grupo criminoso responsável tanto pela possível prática de financiamento ilegal de campanhas políticas na Bahia, quanto por esquemas de fraudes em licitações e contratos no Ministério das Cidades. Chamada de Operação Hidra de Lerna, os policiais estão cumprindo 16 mandados de busca e apreensão autorizados pela ministra Maria Thereza Rocha de Assis Moura, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Segundo a PF, “a operação, que deriva de três colaborações de investigados na Operação Acrônimo, já homologadas pela Justiça e em contínuo processo de validação pela Polícia Federal, tem como origem dois novos inquéritos em tramitação no STJ e cuja distribuição entre os ministros da corte ocorreu de forma automática”.

Em uma das linhas de investigação, a suspeita da PF é que os esquemas investigados realizassem triangulações com o objetivo de financiar ilegalmente campanhas eleitorais. Para isso, a empreiteira investigada “contratava de maneira fictícia empresas do ramo de comunicação, especializadas na realização de campanhas políticas, remunerando serviços prestados a partidos políticos e não à empresa do ramo de construção civil". ]

Em outra direção a PF pretende investigar a ocorrência de fraudes em licitações e contratos no Ministério das Cidades. O nome da operação, Hidra de Lerna, faz referência à figura da mitologia grega, que, ao ter a cabeça cortada, ressurge com duas cabeças. A Operação Acrônimo, ao chegar a um dos líderes de uma Organização Criminosa, se deparou com uma investigação que se desdobra e exige a abertura de dois novos inquéritos.

Ministério das Cidades

Em nota divulgada há pouco, o Ministério das Cidades diz que não recebeu, na manhã desta terça-feira, nenhuma notificação sobre a operação da PF envolvendo recursos da pasta.

O ministério informa ainda que, em poder das informações, terá condições de avaliar do que se trata e capacidade de instaurar, imediatamente, “processos administrativos disciplinares para investigar a denúncia”.

O órgão ressalta a disponibilidade em colaborar com todas as informações necessárias para garantir eficiência e transparência na aplicação dos recursos citados.

Veja Também
Guarda Municipal é a primeira do País a fazer curso da PF
Advogado afirma que cliente suspeito de desmanche é inocente
Câmeras flagram furto de S-10 levada a desmanche
Corpo de homem é incendiado e jogado em poço
Quadrilha usava nomes de usuários de crack
Terça, 28 de Março de 2017 - 11h31Jovem tentar assaltar mulher enquanto caminhava com bebê Autor já tinha duas condenações estava em presídio semiaberto de Ponta Porã
Traficante vendia droga na região central
Jovem é preso com carro carregado com 439 quilos de maconha
Bandido diz que precisa de carro, durante assalto
Menor esfaqueado durante fuga
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
DothShop
Rec banner - cirurgia.net
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento