Campo Grande •18 de Janeiro de 2018  • Ano 7
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner águas guariroba - campanha dezembro

Da redação | Sexta, 17 de Março de 2017 - 07h52Operação da PF combate corrupçãoAlvo são agentes públicos federais e crimes contra Saúde Pública

A Polícia Federal deflagrou nesta manhã, 17/03, a “Operação Carne Fraca”  com o objetivo de desarticular organização criminosa liderada por fiscais agropecuários federais e empresários do agronegócio. A operação detectou em quase dois anos de investigação que as  Superintendências Regionais do Ministério da Pesca e Agricultura do Estado do Paraná, Minas Gerais e Goiás atuavam diretamente para proteger grupos empresariais em detrimento do interesse público.

Aproximadamente 1100 policiais federais estão cumprindo 309 mandados judiciais, sendo 27 de prisão preventiva, 11 de prisão temporária, 77 de condução coercitiva e 194 de busca e apreensão em residências e locais de trabalho dos investigados e em empresas supostamente ligadas ao grupo criminoso, números que fazem desta a maior operação já realizada pela PF em toda sua história.

Os agentes públicos, utilizando-se do poder fiscalizatório do cargo, mediante pagamento de propina, atuavam para facilitar a produção de alimentos adulterados, emitindo certificados sanitários sem qualquer fiscalização efetiva.

Dentre as ilegalidades praticadas no âmbito do setor público, constatou-se a remoção de agentes públicos com desvio de finalidade para atender interesses dos grupos empresariais. Tal conduta permitia a continuidade delitiva de frigoríficos e empresas do ramo alimentício que operavam em total desrespeito à legislação vigente.

As ordens judiciais foram expedidas pela 14ª Vara da Justiça Federal de Curitiba/PR e estão sendo cumpridas em 7 estados federativos: São Paulo, Distrito Federal, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Goias.

O nome da operação faz alusão à conhecida expressão popular em sintonia com a própria qualidade dos alimentos fornecidos ao consumidor por grandes grupos corporativos do ramo alimentício. A expressão popular demonstra uma fragilidade moral de agentes públicos federais que deveriam zelar e fiscalizar a qualidade dos alimentos fornecidos a sociedade.

Veja Também
Polícia identifica mais um drone sobrevoando penitenciaria de Dourados
Jovem é atingido por tiro de espingarda de pressão
Deputado estadual cai de escada ao tentar pegar goiaba
Caminhão carregado de tijolos desvia de tamanduá e capota na MS-395
Motociclista morre ao bater em ônibus de viagem na 163
Quarta, 17 de Janeiro de 2018 - 13h10Polícia prende suspeitos de sequestrar jovem em frente a hospital em Dourados Mesmo negando, trio foi autuado em flagrante pela prática de assaltos e roubos
Quarta, 17 de Janeiro de 2018 - 12h33Quatro veículos são recuperados dentro de 24h Acusados foram encaminhados à delegacia de Dourados
PMA autua pecuarista paulista em R$ 7 mil por desmatamento ilegal
Jovem arranca tornozeleira eletrônica e foge
Enquanto caminhava homem é assassinado a tiros
Square notícias UCI 2018
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothNews
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2018 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento