Menu
28 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner ALMS - AUDIÊNCIA PÚBLICA
Violência

Número de supostas vítimas de abuso chega a nove

Homem suspeito de matar o menino Kauan Andrade, de 9 anos, segue preso

28 Jul2017Valdelice Bonifácio e Mariel Coelho, especial para o Diário Digital17h49
Delegado Paulo Sérgio Lauretto: “não desistimos de encontrar o corpo” (Foto: Marco Miatelo)
  • Deivid Almeida Lopes, 38 anos, prestou novos depoimentos nesta sexta-feira
  • Delegado Paulo Sérgio Lauretto: “não desistimos de encontrar o corpo” (Foto: Marco Miatelo)
  • Menino Kauan desapareceu em 25 de junho e corpo está sendo procurado em buscas feitas pela Polícia Civil e Bombeiros (Foto: Reprodução/Facebook)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

A Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA) está investigando se Deivid Almeida Lopes, 38 anos, suspeito de estuprar e matar o menino Kauan Andrade Soares dos Santos, 9 anos, abusou de mais crianças em Campo Grande. O delegado Paulo Sérgio Lauretto informou que foram identificadas nove possíveis vítimas.

Na tarde desta sexta-feira, 28 de julho, o trabalho policial movimentou a delegacia. Havia crianças no local, algumas com uniformes de escola. A mãe do menino Kauan, Janete dos Santos, também esteve na delegacia pela manhã. O corpo do garoto ainda não foi encontrado apesar das várias buscas realizadas às margens do Rio Anhanduí.

O delegado afirma que a polícia não desistiu de encontrar o corpo da vítima e que buscas continuam sendo desenvolvidas. “As buscas são suspensas em determinados lugares. Nós não desistimos do corpo”, afirmou o delegado durante entrevista à imprensa na tarde desta sexta-feira.

O delegado informou que poderia repassar mais detalhes para não atrapalhar as investigações.

Caso Kauan – O menino Kauan desapareceu no dia 25 de junho. Porém, somente em 22 de julho é que veio à tona a possibilidade de crime. Isso porque um adolescente apreendido no decorrer das investigações admitiu ter presenciado o estupro e morte de Kauan e que o autor seria Deivid Almeida.

Após a morte, o corpo da criança teria sido atirado no Rio Anhanduí, daí as buscas realizadas pela polícia. Com a prisão de Deivid, outros casos de abuso começaram a surgir. Por enquanto, as crianças que afirmam terem sido abusadas são tratadas como possíveis vítimas já que as investigações ainda estão em andamento. Deivid segue preso.

Veja Também