Menu
18 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Sidrolândia

Polícia ainda não encontrou provas de estupro

Mulher vítima de estupro em Sidrolândia é ouvida pela Polícia Civil

12 Jan2018Mariel Coelho, em especial para o Diário Digital.15h39

A Mulher de 34 anos que registrou boletim de ocorrências estupro coletivo prestou depoimento na manhã desta sexta-feira (12), na delegacia de polícia civil de Sidrolândia. Os investigadores da polícia estão no encalço dos três suspeitos, que teriam a agredido e violentado na madrugada de quinta-feira (11) no saguão de uma igreja.

De acordo com o site Região News, a polícia ainda não encontrou provas que comprovem a versão dada pela vítima. Conforme informações preliminares, o exame de corpo de delito não constatou que violência sexual e nem hematomas na vítima.

O médico que realizou o exame achou estranho não encontrar hematomas na mulher, já que ela contou aos policiais que teria sido agredida na barriga e do seio, com socos e chutes.

A versão a qual a ela realou também não foi comprovada, a polícia foi até o local e não encontrou indícios de arrombamento ou que alguém tenha escalado o muro que tem quase dois metros de altura.

O depoimento de dois vigilantes que trocaram de turno, disseram a policia que viram a mulher por volta das 02h30 da madrugada em frente à sua residência, e que ela teria pedido ajuda a um dos vigias para pular o portão de sua casa, pois teria sido expulsa pelo marido. Este mesmo guarda disse ainda que cerca de duas horas depois viu a mulher, vestindo um roupão e fazendo ligação de um orelhão.

Veja Também