Menu
21 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner FIEMS - Mês da Industria
Três Lagoas

Mais de R$ 40 mil em notas falsas são retiradas de circulação em Três Lagoas

Balanço é deste ano e foi divulgado pela Polícia Federal

24 Ago2017Da redação19h25

De acordo com um levantamento feito pela delegacia da Polícia Federal (PF) de Três Lagoas, revelou que mais de 40 mil reais em cédulas falsificadas foram retiradas de circulação este ano. O órgão também divulgou que em todo ano de 2016, foram 14 flagrantes envolvendo este tipo de crime. Em janeiro a agosto de 2017, foram 15, ou seja, um a mais.

Segundo o site Perfil News o delegado da PF, Alan Givigi contou que mais chamou atenção foram três ocorrências devido à quantidade de notas falsas interceptadas. Uma delas foram 460 notas de R$ 50, totalizando assim, R$ 23 mil. Em outra abordagem, foram 341 notas do mesmo valor, somando o montante de R$ 17.050. Por fim foram flagradas 36 notas, também com a mesma cifra, equivalendo à quantia de R$ 1.800.

"Nós orientamos que os comerciantes devem estar atentos na hora de receber o valor do produto oferecido. Existem diversas formas de identificar dinheiro falsificado, porém, a maioria das pessoas é leiga e, por isso, orientamos que usem equipamentos como luzes ou canetas que certificam se elas têm procedência legal ou não. Esses equipamentos tem uma eficácia comprovada", esclareceu Givigi.

Preocupada com a quantidade de ocorrências registradas desse tipo de crime na cidade, a Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas (ACI-TL) emitiu uma nota na terça-feira (22) prestando diversas orientações aos interessados.

Em um trecho do texto, a entidade garante que "uma das táticas é utilizar notas falsas de valores elevados para comprar itens mais baratos, em busca do troco ‘limpo’. O perigo está aí, a pessoa que recebe uma cédula falsificada quase sempre terá de arcar com o prejuízo, porque não existe uma legislação que garanta a troca por dinheiro verdadeiro. Se o saque for feito em caixa eletrônico, a recomendação é que o consumidor tire um extrato que comprove o saque e procure o gerente da agência afim de que possa haver um entendimento mútuo acerca do ressarcimento dos valores".

O órgão também faz um alerta de que o crime de moeda falsa está previsto no artigo 289 do Código Penal. "Quem falsifica, fabrica, adquire, vender, troca, guarda ou tentar colocar uma cédula falsa em circulação está passivo de prisão com penas que variam de 3 a 12 anos de reclusão. Por isso, é importante não repassar a nota. Ao receber dinheiro falso deve procurar a Polícia Federal ou entregar a um banco, que fará o encaminhamento", finalizou a ACI-TL.

Veja Também