Menu
7 de dezembro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Operação Patron

Lava-Jato mira ex-presidente do Paraguai

A operação acontece no Rio, em São Paulo, Búzios e em Ponta Porã

19 Nov2019Da redação07h10

Operação do Ministério Público Federal  (MPF) e da Polícia Federal (PF), deflagrada nesta terça-feira, tem como alvo principal o ex-presidente do Paraguai Horacio Cartes , que esteve no comando do país vizinho entre agosto de 2013 a agosto do ano passado. Cartes é ligado a Dario Messer , conhecido como o "doleiro dos doleiros", preso em São Paulo em julho deste ano , na Operação Câmbio, Desligo, após ficar 14 meses foragido. Eles são acusados de lavagem de dinheiro pela força-tarefa da Lava-Jato entre outros crimes.

Além do ex-presidente paraguaio, foram expedidos mandados de prisão contra outras 18 pessoas e outros 18 de busca e apreensão na ação denominada de Patron. A operação é um desdobramento da Operação Câmbio, Desligo , e acontece no Rio, em São Paulo, Búzios e em Ponta Porã (MS), na fronteira com o Paraguai. Agentes da PF estão na casa de um dos alvos, em Ipanema, zona sul do Rio.

Foi na Câmbio, Desligo que Dario Messer, conhecido como "o doleiro dos doleiros", foi preso.  A ação desta terça-feira, que esbarra ainda em esquemas de tráfico de armas e de contrabando de cigarro ilegal, foi desencadeada a partir da prisão de Messer.

Em maio do ano passado, agentes da Polícia Federal foram para as ruas  para cumprir 53 mandados de prisões  contra doleiros e operadores envolvidos em um esquema de lavagem de dinheiro que atingiu astronômica cifra de US$ 1,652 bilhão. A Operação "Câmbio, Desligo"  foi a ação da Lava-Jato do Rio com o maior número de alvos.

Luxúria : Lava-Jato encontra originais de Di Cavalcanti e joias na cobertura do 'doleiro dos doleiros' no Leblon

Os negócios de Cartes e Messer são monitorados por diferentes agências americanas há duas décadas a partir de Assunção e de Ciudad del Este, na fronteira como Brasil. A sociedade com o ex-presidente paraguaio foi confirmada por um antigo parceiro brasileiro de Messer, Lucio Bolonha Funaro, responsável pela lavagem de dinheiro de corrupção do grupo político liderado pelo ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB-Rio).

Veja Também

Polícia encontra armas, prende seis e desarticula plano para roubar caminhões
Homem em liberdade condicional é preso com droga em Patronato Penitenciário
Assaltante de mercado é preso pelo BPChoque
Homicídio Genro mata sogro a facada na Capital Vítima morreu na frente da esposa, filha e netos
Jamil Name deve voltar para o sistema penal de MS
Assaltante morre ao trocar tiros com policial militar
Adolescente suspeito de latrocínio é apreendido pela segunda vez
Maconha é apreendida em tanque de óleo vegetal
Após ser liberado por falta de vaga, acusado de matar taxista é levado à Unei
Fim de ano terá 3500 policiais nas ruas