Campo Grande •29 de Abril de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Da Agência Brasil | Terça, 18 de Abril de 2017 - 12h18Justiça norte-americana condena Odebrecht a pagar US$ 2,6 bilhões em multasA ordem de pagamento foi deferida pelo juiz distrital Raymond Dearie, na corte Federal do Brooklyn

A Construtura Odebrecht foi condenada, nesta segunda-feira (17), a pagar US$ 2,6 bilhões em multas por suborno e pagamentos de propinas em 12 países da América Latina e África. A ordem de pagamento foi deferida pelo juiz distrital Raymond Dearie, na corte Federal do Brooklyn.

O juiz decidiu que a Odebrecht pague cerca de US$2,4 bilhões ao Brasil, US$116 milhões à Suíça e US$ 93 milhões aos Estados Unidos. A empresa e a afiliada petroquímica Braskem SA, declararam-se culpadas das acusações de suborno dos Estados Unidos em dezembro do ano passado, mas não havia sido fixado um acordo sobre o valor a ser pago.

Em dezembro, a construtura foi acusada de ter usado U$ 788 milhões no pagamento de propinas à funcionários de 12 países – entre 2001 e 2016, para garantir a preferência em processos e contratos de pelo menos 100 projetos.

À época, houve um pré-acordo em que as partes haviam concordado que a multa aplicada deveria ser de US$ 4,5 bilhões, mas a Odebrecht recorreu e alegou que tinha condições de pagar até U$2,6 bilhões. Os dados foram apresentados à corte e a decisão foi tomada com base na capacidade de pagamento alegada.

Na América Latina, o esquema foi utilizado na Argentina, Colômbia, República Dominicana, Venezuela, Guatemala, no Equador, México, Panamá e Peru, além do Brasil. Na  África foram identificados casos em Angola e Moçambique.

A justiça norte-americana concluiu que a empresa teria ganhado ilicitamente, US$ 3,3 bilhões. Além disso, a promotoria acusou a companhia de não ter um progama anti-corrupção ativo.

O processo judicial foi aberto nos Estados Unidos depois de investigação que comprovou que algumas empresas off-shore norte-americanas e suiças estavam sendo usadas para armazenar e distribuir recursos provenientes das negociações dos projetos da Odebrecht nos países indicados.

Autoridades federais no país começaram a investigar a origem do dinheiro e descobriram as irregularidades, baseadas nos indícios de que parte das propinas pagas à Odebrecht foram destinadas a bancos norte-americanos. 

A imprensa dos Estados Unidos destaca que a multa definida nessa segunda-feira pelo corte federal foi uma das maiores aplicadas à uma companhia, na história do país.

Veja Também
Em depoimento a Moro, Cabral admite ter recebido caixa 2
Em São Gabriel, vereadores devolvem R$ 350 mil à prefeitura
Para Pedro Chaves, Lei do Abuso de Autoridade é inoportuna
CPI do Táxi da Capital já tem composição definida
Presidente do Senado está na UTI
MS pode ganhar data para celebrar Dia do Capelão
Quarta, 26 de Abril de 2017 - 12h17Temer exonera três ministros para votar reforma trabalhista na Câmara Relatório da reforma trabalhista foi aprovado ontem (25)
'Governo está mais otimista com economia', diz Reinaldo
Aprovado projeto que prevê controle das despesas do Município
STF revoga prisão domiciliar e Bumlai fica em liberdade
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - cirurgia.net
DothShop
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento