Menu
20 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner Governo - Maio amerelo
Atropelamento

Idosa de 91 anos morre atropelada na Capital

Motorista alegou ter passado mal, mas testemunha a viu falando ao celular

13 Set2017Valdelice Bonifácio15h00
Gilberto Robalinho diz que esposa não fugirá às responsabilidades (Foto: Marco Miatelo)
  • Verônica deixa 10 filhos, 30 netos e 25 bisnetos.
  • Gilberto Robalinho diz que esposa não fugirá às responsabilidades (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

A idosa Verônica Recaldi Fernandes, 91 anos, morreu atropelada na Avenida José Nogueira Vieira, no Bairro Tiradentes, em Campo Grande, na tarde desta quarta-feira, 13 de setembro. Ela deixava a calçada quando foi atingida por um veículo Fiat Uno, de cor branca, que era conduzido por Sirlene Robali, de 47 anos. A motorista alegou ter passado mal no volante e por isso perdeu o controle da direção. Contudo, testemunhas disseram que a condutora estava falando no telefone celular.

A motorista se abrigou em uma farmácia e não falou com a imprensa. O marido dela, o procurador Gilberto Robalinho, disse que a mulher estava em estado de choque, mas que não pretendia fugir às responsabilidades.

Familiares da vítima estavam revoltados no local. Eles criticaram o fato de o carro Fiat Uno que atropelou a idosa ter sido retirada do local antes da perícia chegar.

A própria polícia teve dificuldades de explicar a situação. Passada confusão, o sargento da PM Carlos Alberto, informou que o procedimento não é praxe, mas que a medida foi necessária. "Estavam com medo de o carro ser depredado, por isso ele foi levado para a delegacia, onde será periciado", explicou.  

Verônica deixou 10 filhos, 30 netos e 25 bisnetos.

Veja Também