Menu
25 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner ALMS - AUDIÊNCIA PÚBLICA
Desaparecidos

Grupo especial faz buscas por irmãos na fronteira

Buscas foram definidas após protestos que cobraram respostas do Poder Público

23 Ago2017Valdelice Bonifácio e Lia Nogueira, de Ponta Porã15h30
(Foto: Divulgação)
  • Reunião pela manhã tratou do início das buscas pelos rapazes desaparecidos desde abordagem do DOF no dia 12 de agosto
  • (Foto: Divulgação)

Estão sendo realizadas desde a manhã desta quarta-feira, 23 de agosto, as buscas pelos irmãos Ediney Bruno Ortiz Amorim, de 20 anos, e Rodney Campos dos Santos, 27, que estão desaparecidos desde uma abordagem de policiais do Departamento de Operações da Fronteira (DOF) no sábado, 12 de agosto. 

A Secretaria Municipal de Segurança de Ponta Porã criou um grupo para este fim composto por bombeiros e guardas municipais. Os trabalhos começaram no Distrito de Nova Itamarati, antigo assentamento Itamarati. Há rumores apontando que os rapazes foram jogados em uma represa. Familiares e amigos dos rapazes acompanham as buscas.

A família, inclusive, já vinha fazendo buscas por conta própria, mas sem sucesso. O trabalho oficial foi definido na tarde de terça-feira, 22 de agosto, após manifestação na Câmara Municipal de Ponta Porã. Os manifestantes exigiram respostas do Poder Público.

Abordagem - Os irmãos Edney e Rodney estavam próximo à divisa com a cidade de Antônio João quando foram abordados pelos policiais do DF, no dia 12. Imagens de vídeo mostraram a abordagem e os jovens sendo conduzidos pelos agentes do DOF. Um deles colocado na viatura e outro sendo levado no próprio carro. Desde então não foram mais vistos e nem fizeram contato com a família.

A última pista dos rapazes foi a localização do veículo deles na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero a 100 metros da linha divisória da cidade de Ponta Porã. No veículo, havia um boné e um par de tênis que a família reconheceu como sendo dos rapazes.

A Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) determinou investigação rigorosa do caso. Como se trata de desaparecimento, a Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios (DEH) está no caso.

Veja Também